Otoplastia: entenda como é feita a cirurgia para correção da orelha em Abano

Orelhas. Você já parou para pensar nas suas orelhas hoje? Geralmente, as orelhas não são uma parte do corpo que nos incomoda ou que nos agrada. As pessoas não apontam a orelha como a melhor parte do corpo delas. Nem como a pior. São somente orelhas, certo? Bom, nem sempre.

A orelha pode passar a ser um incômodo em algumas circunstâncias: quando são muito grandes ou protuberantes ou quando apresentam alguma deformação, que pode ser congênita ou causada por trauma. A otoplastia é um meio de melhorar essa aparência e aumentar a autoestima de quem sofre com algum dos problemas apresentados.

Fique com a gente e leia este artigo para entender tudo sobre o procedimento! 

O que é a otoplastia?

Apesar do nome estranho, o significado é simples: otoplastia é a cirurgia de correção das orelhas. Geralmente, é feita para ajustar as famosas “orelhas em abano”, mas também pode suavizar outros casos e, inclusive, ser feita para construir uma nova orelha em alguém que nasceu sem essa parte do corpo ou remodelar, quando deformado por acidente.

Imperfeições que incomodam podem causar muita insegurança com relação à autoimagem e motivar a baixa autoestima. No caso das orelhas, a situação é geralmente uma característica de nascença e que causa inconvenientes mesmo em crianças, que recebem apelidos e são vítimas de bullying. A boa notícia é que a otoplastia pode ser feita também na infância, em indivíduos a partir de 6 anos de idade.

Quando a otoplastia é indicada?

A cirurgia tem indicação no caso de defeito que atrapalhe a audição ou de malformação que prejudique a harmonia do rosto. Existem vários graus de deformidade que podem ser encontrados nas orelhas, mas esse não é exatamente um critério para a realização da cirurgia. É possível que uma pessoa com um grau avançado de deformidade conviva bem com isso e que outra pessoa, com um grau leve, incomode-se muito.

Portanto, a principal indicação para a cirurgia é a quantidade de prejuízo emocional e psicológico que o paciente sente. Se a situação for realmente incômoda, a otoplastia pode, então, ser uma saída para ajudar a resolver o problema!

Como a cirurgia é realizada?

A otoplastia deve ser realizada em ambiente hospitalar. O profissional escolhido deve ser cirurgião plástico, ter registro no Conselho Federal de Medicina e fazer parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. É preciso que o paciente siga algumas orientações antes da cirurgia, como não fumar e não utilizar certas medicações, como anticoagulantes, além de fazer os exames pré-operatórios necessários.

Para o processo cirúrgico, é necessário que a pessoa a ser operada esteja em jejum de 8 horas. A primeira parte do processo é a anestesia, que pode ser local com sedação ou geral, que é mais utilizada em crianças. Antes da cirurgia, há uma consulta exclusiva com o anestesista, então, esse é o momento para tirar quaisquer dúvidas!

Após a anestesia, o cirurgião faz uma incisão na parte de trás da orelha, expondo a cartilagem, que pode ser removida ou raspada em parte para conferir um melhor formato à orelha. Essa incisão também pode ser feita na parte da frente, e, nesse caso, a cicatriz fica escondida pelos relevos naturais da orelha.

banner clínica integrada de cirurgia plástica

Em alguns casos, o alvo da correção é o lóbulo da orelha, por ser muito grande, aderido ou rasgado, e, nesse caso, a incisão será feita de acordo com a necessidade. Em casos de reconstrução total ou parcial, partes de cartilagem podem ser removidas de outras partes do corpo para remodelar a orelha.

Depois de atingir o resultado esperado, o cirurgião faz a sutura externa. Os pontos podem ser absorvidos pelo corpo ou terem de ser retirados após alguns dias, e isso acontece conforme a orientação do médico, pois depende do fio utilizado na sutura. É feito um curativo em forma de faixa, contornando a cabeça do paciente, de modo que as orelhas sejam protegidas.

A cirurgia demora de 60 a 120 minutos, e o período de internação dura em torno de 12 horas. Ou seja, em situações normais, quem faz a cirurgia de manhã já pode jantar no conforto de casa.

Quais são os cuidados pós-operatórios?

O pós-operatório da otoplastia é bem simples. Por alguns dias, a pessoa operada não vai poder (e provavelmente não iria conseguir) dormir sobre as orelhas. O curativo colocado após a cirurgia é removido depois de 2 ou 3 dias, pelo médico. Após esse processo, é necessário manter o local da incisão limpo e seco e utilizar a faixa compressiva.

As atividades do dia a dia poderão ser retomadas em menos de uma semana, com exceção dos exercícios físicos, que terão que esperar um pouquinho mais. É preciso tomar cuidado para que as ações da rotina não causem dano à orelha operada, pois isso pode causar bastante dor e inflamação e estragar o resultado da cirurgia.

Sentir um pouco de dor, inchaço, coceira e falta de sensibilidade é comum por algum tempo. Analgésicos serão receitados, mas é importante saber que excesso de dor não é comum nesse procedimento. Em caso de dor excessiva, a ação correta é procurar o médico. E outro cuidado básico é evitar coçar o local, para não causar traumas ou infecções.

Seguir à risca as orientações do cirurgião, para garantir um pós-operatório tranquilo e uma boa cicatrização, é fundamental. 

Que benefícios a otoplastia oferece?

A otoplastia traz a melhora da autoestima, estimulando que o paciente sinta todos os benefícios que isso proporciona, como mais felicidade e disposição. Outros benefícios são:

  • prevenção de problemas psicológicos;
  • melhora na harmonia da face;
  • correção de imperfeições e assimetrias;
  • possibilidade de realização em qualquer fase da vida, até mesmo na infância.

Por fim, depois de entender sobre otoplastia, um último recado: é importante você gostar do seu corpo, apreciar a imagem refletida no espelho, uma que coloque um sorriso no seu rosto. E a otoplastia pode ser uma forma de fazer isso por você. Conhecer melhor todo o processo da cirurgia é um passo importante para seguir a decisão de fazer esse procedimento, que pode mudar a sua vida para melhor.

E aí, gostou de saber mais detalhes sobre a otoplastia? Nosso blog também traz conteúdos sobre outros tipos de cirurgias plásticas e variados assuntos de estética, beleza e saúde. Assine nossa newsletter para não perder as novidades!

A realização de cirurgias plásticas está cada vez mais comum, segura e acessível. Por essa razão, cada vez mais pessoas recorrem a um cirurgião plástico para melhorar aspectos que não estão agradando em seus corpos.
Dr. Lecy Marcondes

DR. Lecy Marcondes

Dr Lecy Marcondes Cabral, Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP, Fellow do Colégio Internacional de Cirurgiões, 35 anos de profissão, graduou-se, em 1982, em medicina pela Faculdade de Medicina de Pouso Alegre, em Minas Gerais:

  • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.
  • Integra o Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Luiz e do Hospital Israelita Albert Einstein.
  • Pesquisador na área de Cirurgia Plástica
  • Premiado nos Fóruns de Pesquisa do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Autor de capítulos de livros publicados nas áreas de cirurgia e cirurgia plástica.
  • Diretor e Responsável da Clínica Integrada de Cirurgia Plástica São Paulo.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

Open chat