Quer deixar o rosto mais harmônico? Então conheça agora o facelift

O colágeno é uma proteína abundante na pele humana, sua função é manter as células elásticas e unidas. Em média, após os 30 anos, a produção de colágeno começa a diminuir e os primeiros sinais de envelhecimento são notados. O mesmo acontece com o ácido hialurônico, uma substância que retém água e garante a firmeza e sustentação da pele.

Assim, com a diminuição da concentração de ambos os componentes, é possível começar a notar rugas e linhas de expressão, flacidez e piora no aspecto da pele. Para tratar essa alteração, é possível usar uma técnica cirúrgica chamada facelift, também chamada de lifting facial ou ritidectomia.

Em inglês, lift significa levantar. Ou seja, com o procedimento, é possível “levantar” a área a ser tratada e rejuvenescer o rosto, assim como reduzir alguma pele que esteja sobrando.

Quer saber mais sobre o facelift; ritidectomia ou lifting facial? Neste artigo explicaremos como a cirurgia plástica é feita, para quem é indicada, como é o pós-operatório, além de outras informações importantes. Confira!

Para quem o facelift é indicado?

O rosto é nosso “cartão de visitas”, uma das primeiras coisas que as pessoas observam quando nos conhecem. Dessa forma, é muito natural sentir-se chateado ou com baixa autoestima quando a face adquire uma aparência de cansaço e envelhecimento.

Sendo assim, concluímos que cuidar da aparência é um passo importante para garantir o bem-estar. Afinal, pessoas que se sentem satisfeitas com o que veem no espelho têm uma postura mais confiante e se sentem felizes, não é mesmo?

Investir em tratamentos para beleza, como o lifting facial, faz bem não só para a saúde do corpo, mas também para a da mente, contribuindo para o aumento da qualidade de vida. Esse procedimento cirúrgico tem como objetivo atenuar os sinais causados pelo envelhecimento, assim como corrigir os danos do tempo causados à pele do rosto e do pescoço.

É possível suavizar rugas e marcas de expressão facial, melhorar o aspecto da flacidez e também rejuvenescer a área dos olhos, da mandíbula e do pescoço, que com o passar dos anos sofrem bastante pelo excesso de pele. O processo natural de envelhecimento acontece para todas as pessoas, mas ele pode ser acelerado em alguns casos, como em indivíduos que se expõem demais à luz solar, em fumantes e em quem tem fatores hereditários para tal.

O facelift ou ritidectomia é indicado para quem se encaixa nas características acima e deseja devolver ao rosto uma aparência mais jovem. No entanto, é importante ressaltar que o procedimento não tem como objetivo uma imagem perfeita ou uma aparência juvenil, mas é capaz de diminuir características que envelhecem, como a flacidez e as rugas.

O que é e como é feita a ritidectomia?

O rosto pode ser dividido em três zonas: o primeiro terço se inicia na raiz do couro cabeludo e vai até as sobrancelhas; o segundo compreende a região entre as sobrancelhas e a base do nariz; e o terceiro se estende do final do nariz até o queixo. A intervenção cirúrgica é necessária quando há:

banner clínica integrada de cirurgia plástica
  • flacidez no primeiro terço da face: o procedimento é capaz de amenizar as rugas da testa e as que se formam entre as sobrancelhas, além de diminuir a queda dos supercílios; 

  • flacidez no segundo terço da face: o procedimento ameniza os vincos nas bochechas, na região abaixo das pálpebras e no sulco naso-labial (que também é conhecido como “bigode chinês”); 

  • flacidez no terceiro terço da face: o procedimento rejuvenesce a região do pescoço, retirando excesso de pele e melhorando o contorno da mandíbula. É também capaz de eliminar ou reduzir a papada, entre outros fatores.

O facelift pode ser realizado por meio de diferentes técnicas, o que depende das características faciais do paciente, da preferência do cirurgião e também da região a ser tratada. De forma geral, serão feitas incisões (ou cortes) no couro cabeludo, no contorno anterior às orelhas e no queixo. O cirurgião plástico planeja minuciosamente os locais onde serão feitos os cortes, priorizando regiões de dobras ou de difícil visualização por outras pessoas.

Depois, o médico descola pele e músculos. Os músculos faciais são reposicionados para que possam garantir sustentação e volume adequado para a pele e a gordura. Assim, é possível criar volume em áreas que perderam o tônus com o passar dos anos, como as maçãs do rosto, que são responsáveis por um ar jovial. Já a pele é reposicionada, a fim de diminuir sulcos e linhas de expressão, e os excessos são retirados.

Em alguns casos, o profissional pode indicar outros procedimentos para um melhor efeito rejuvenescedor. A lipoaspiração, por exemplo, pode ser feita na papada. A blefaroplastia, ou cirurgia das pálpebras, também pode ser indicada para retirar o excesso de pele dessa delicada região, melhorando o aspecto de cansaço e envelhecimento.

Como é o pós-operatório?

Após a cirurgia é necessário um tempo de repouso, que dura em média 10 dias. É natural que o paciente sinta dores e sofra com o inchaço, o que pode se estender por cerca de 2 semanas. Nesse tempo serão prescritos remédios para controlar a dor. Também é comum sentir formigamento ou dormência na face no período de recuperação.

Orientações importantes serão dadas pelo cirurgião plástico e devem ser seguidas à regra. Dentre elas estão evitar a exposição solar por cerca de 3 meses, evitar coloração e processos químicos no couro cabeludo por no mínimo 1 mês e só usar maquiagem e outros produtos no rosto após o décimo dia de pós-operatório.

Os resultados começam a se tornar visíveis cerca de 1 mês após o facelift. A técnica promoverá um levantamento de todo o rosto, mas principalmente das bochechas, sobrancelhas, mandíbula e pescoço. Como a ritidoplastia atua nas áreas responsáveis pela percepção de jovialidade, o paciente terá a sensação de rejuvenescimento.

O que considerar antes de realizar a ritidectomia?

É importante ressaltar que esse procedimento cirúrgico é extremamente delicado e exige um profissional bastante experiente na área. Afinal, é imprescindível que a ritidectomia seja feita sem esticar a pele, visto que essa característica entrega à face uma aparência artificial, deixando claro que uma intervenção cirúrgica foi feita.

Por fim, também é fundamental falar que os benefícios do lifting facial não se mantêm por toda a vida, uma vez que o organismo humano está constantemente em processo de envelhecimento. Para potencializar os resultados e mantê-los por mais tempo é recomendado uso de outras técnicas, como o preenchimento com ácido hialurônico e aplicação de Botox.

E então, gostou de saber mais sofre o facelift, ou ritidectomia? Existem outras cirurgias plásticas que podem ser realizadas no rosto, a fim de deixá-lo mais harmônico e jovial. Quer saber quais são elas? Então não deixe de acessar este post!

 

A realização de cirurgias plásticas está cada vez mais comum, segura e acessível. Por essa razão, cada vez mais pessoas recorrem a um cirurgião plástico para melhorar aspectos que não estão agradando em seus corpos.
Dr. Lecy Marcondes

DR. Lecy Marcondes

Dr Lecy Marcondes Cabral, Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP, Fellow do Colégio Internacional de Cirurgiões, 35 anos de profissão, graduou-se, em 1982, em medicina pela Faculdade de Medicina de Pouso Alegre, em Minas Gerais:

  • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.
  • Integra o Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Luiz e do Hospital Israelita Albert Einstein.
  • Pesquisador na área de Cirurgia Plástica
  • Premiado nos Fóruns de Pesquisa do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Autor de capítulos de livros publicados nas áreas de cirurgia e cirurgia plástica.
  • Diretor e Responsável da Clínica Integrada de Cirurgia Plástica São Paulo.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

Open chat