O que é mentoplastia? Saiba quando é indicado realizar a cirurgia de queixo!

Você sabe o que é mentoplastia? Se ainda não conhece esse procedimento, é normal, afinal, muita gente tem dúvidas em relação ao nome (que não é tão comum assim). Trata-se da cirurgia plástica de queixo (mentoplastia), que se torna cada vez mais popular. Outro nome para essa operação é a cirurgia ortognática.

O principal objetivo dessa cirurgia é devolver a harmonia facial por meio do alinhamento do queixo conforme os demais traços do rosto. É uma operação importante para quem não está satisfeito com os contornos faciais ou do próprio queixo, afinal essa é uma área determinante para quem busca simetria e padrões altos de beleza. Também é indicada para corrigir problemas funcionais.

Gostou do assunto e quer saber mais sobre a mentoplastia? Continue neste artigo que vamos explicar o que é, como é realizado o procedimento, para quem é indicado e como é o pré e o pós-operatório.

O que é a mentoplastia?

A mentoplastia é a cirurgia plástica cujo objetivo é dar uma melhor forma ao mento, nome científico atribuído à região do queixo, pescoço e mandíbula. Também conhecida como cirurgia de queixo, é um procedimento que tem se tornado popular graças ao resultado que proporciona.

A ideia é trazer mais simetria para o rosto, padrão bastante exaltado pelas sociedades modernas do ocidente. Para isso, o procedimento pode ser tanto de aumento quanto de redução do tamanho da área, dependendo dos traços do paciente.

Como é realizado o procedimento?

A cirurgia de queixo é uma das principais alternativas para posicionar corretamente a região. Além disso, ela pode encurtar, alongar e até mesmo modificar o formato do queixo. A avaliação da indicação de cirurgia deve, primeiro, partir da insatisfação com a simetria do rosto e, em seguida, da orientação do médico cirurgião plástico.

Na cirurgia realizada para aumentar o tamanho de queixos retraídos, o procedimento é feito na parte de dentro da boca ou mesmo no encontro do queixo com o pescoço. Normalmente se utiliza a anestesia local. No entanto, em alguns casos, o mais recomendado é cortar o osso e tracioná-lo para a parte da frente, assim, a anestesia geral é recomendada pois envolve estruturas mais complexas.

Quando o problema é o contrário, ou seja, o queixo é avançado (proganatismo), a cirurgia de reposicionamento pode ser feita apenas na região ou em toda mandíbula, de acordo com a orientação do médico. Para realizar esse procedimento, o cirurgião plástico deve fazer um corte no osso e posicioná-lo para trás. O processo termina quando o queixo é fixado com parafusos.

Em relação a desvios laterais, o especialista precisa cortar o osso, posicionando-o para o meio e utilizando parafusos para fixar.

Em alguns casos, pode ser necessário um tratamento interdisciplinar como combinar a mentoplastia com a rinoplastia (cirurgia plástica no nariz) ou procedimentos ortodônticos, uma vez que a posição dos dentes pode influenciar diretamente o resultado final.

Quem deve fazer a cirurgia de queixo?

O queixo é fundamental para construir um rosto simétrico e harmônico. Ele, em conjunto com o nariz, é responsável por formar a nossa imagem de perfil. Por tal razão, não são raros os casos de pessoas que estão insatisfeitas com o formato do queixo, seja por ser muito grande, pequeno e pouco expressivo, ou, em situações extremas, quando essa região está desalinhada e assimétrica.

Nesse sentido, a cirurgia de queixo é procurada por quem quer ter um contorno facial mais harmônico e o médico cirurgião plástico recomendou esse procedimento.

Além disso, a mentoplastia é realizada por pessoas que sofrem de apneia grave do sono ou ainda que tiveram algum traumatismo grave na região, como acidentes, por exemplo. Vale lembrar ainda que a indicação desse procedimento dependerá da saúde do paciente e da idade, uma vez que só é possível realizar a cirurgia após os 17 anos, fase em que a estrutura óssea está completamente formada.

Como é o pré e pós-operatório?

A cirurgia de queixo não costuma apresentar complicações graves. No entanto, para que os resultados atendam a expectativa, e o paciente não enfrente nenhum problema, é fundamental seguir as orientações do pré e pós-operatório. Confira cada uma das etapas a seguir!

Pré-operatório

O pré-operatório deve se iniciar com uma criteriosa análise facial, além do levantamento do histórico médico, bem como a situação odontológica completa do paciente. Para identificar a necessidade da realização da mentoplastia, o médico deverá avaliar cuidadosamente os terços da face em conjunto e separados e fazer diversas fotografias para documentar as condições do queixo antes do procedimento.

Em diversos casos, pode ser recomendado o tratamento ortodôntico antes da mentoplastia, uma vez que a posição dos dentes é diretamente responsável na posição dos lábios, determinando, assim, a estética do perfil.

Além disso, é recomendado que o paciente faça os exames de sangue pedidos pelo médico e suspenda o uso de alguns medicamentos, bebida alcoólica e cigarro.

Pós-operatório

Depois que o procedimento (seja de aumento, redução ou simetria) for realizado, o paciente deve seguir algumas recomendações no período de pós-operatório. Apesar de a alta ser dada no mesmo dia, a área precisa ser imobilizada por uma semana.

Nesse período, o paciente não deve fazer esforço ou realizar movimentos bruscos com o local, sendo, portanto, indicada a dieta líquida. A retirada dos pontos também ocorre por volta de 7 dias após a intervenção. Para aliviar a dor, o inchaço e reduzir o risco de infecção, é fundamental o uso de antibióticos e analgésico, de acordo com a prescrição médica.

A reabilitação depois da cirurgia de queixo pode levar semanas, mas, após 15 dias, já é possível retornar às atividades rotineiras. No primeiro mês, fazer drenagem linfática de 2 a 3 vezes por semana na região pode ajudar a reduzir os edemas e inchaços.

De uma forma geral, a cirurgia de queixo não apresenta riscos ou complicações, no entanto, é fundamental escolher os profissionais especializados no assunto e a clínica que possua infraestrutura suficiente para atender com qualidade os pacientes.

E você, já pensou em realizar uma mentoplastia? Entre em contato conosco e tire as suas dúvidas!

Você sabe o que é dermoabrasão? Nós te explicamos!

O rosto é o nosso principal cartão de visitas. No entanto, alguns fatores como o sol, a acne, o envelhecimento e a flacidez podem causar algumas marcas e manchas faciais que acabam desagradando e prejudicando a autoestima.

Felizmente, a medicina evolui muito e, graças a modernas técnicas de procedimentos e cirurgias plásticas, já é possível reverter uma série de sinais faciais. Um deles é a dermoabrasão.

Você sabe do que se trata? Basicamente é um tipo de intervenção não invasiva em que há uma remoção da camada superior da pele e que traz ótimos resultados para quem busca por renovação.

Ao longo do texto vamos explicar melhor como funciona esse procedimento, para quem é indicado e como deve ser o pós-operatório. Além disso, vamos mostrar as diferenças em relação ao peeling químico. Ficou curioso? Confira!

O que é dermoabrasão?

A dermoabrasão é um procedimento cirúrgico cosmético minimamente invasivo e é utilizado em diversos casos para melhorar a aparência da pele, sobretudo do rosto. Também conhecida como regeneração da pele, na intervenção é realizado lixamento físico da epiderme para que haja uma esfoliação da região, estimulando uma renovação.

De uma forma geral, podemos dizer que a dermoabrasão é uma técnica cujo o propósito é remover uma parte das camadas mais superficiais da pele por meio de uma raspagem. A ideia é deixar as irregularidades causadas por fatores diversos mais suaves, fazendo com que a superfície da epiderme tenha uma aparência mais lisa e esteticamente mais agradável.

Normalmente a dermoabrasão é utilizada para deixar a pele com uma aparência melhor em caso de acne severa, cicatrizes em decorrência de acidentes ou cirurgias, marcas de nascença ou até mesmo manchas. Também pode ser usada para a remoção de tumores pré-cancerígenos chamados de queratoses.

Por fim, também é utilizada para remoção de tatuagens. No entanto, nesses casos, a técnica só tem a eficácia garantida quando se trata de um desenho menor e pouco pigmentado. Em geral, pode ser realizada tanto em uma porção menor de pele quanto em grandes áreas. Também pode ser feita em conjunto com outros procedimentos, tais como o peeling químico.

Como é a preparação para o procedimento?

A dermoabrasão é utilizada em pessoas que tenham marcas ou cicatrizes causadas por inúmeros fatores. Para a realização do procedimento é usada uma lixa cirúrgica acoplada a um aparelho específico para o procedimento e, assim, raspa a camada mais superficial da epiderme. As regiões que passarão pelo procedimento são lixadas por aproximadamente 15 minutos.

É importante lembrar que o tratamento é indolor graças à aplicação de uma anestesia local. Depois do procedimento a pele ficará em tom rosado, voltando ao normal depois de algum dia.

Para enfrentar essa intervenção, a pessoa precisa conversar com o seu cirurgião plástico e entender se está apta. A dermoabrasão, apesar de ser uma técnica cirúrgica relativamente simples é contraindicada em alguns casos, como:

  • pessoas em tratamento para acne com medicamentos à base de isotretinoína;

  • quem tem predisposição desenvolver queloides;

  • pessoas que estivem com acnes inflamadas, contendo pus;

  • quem costuma apresentar infecções recorrentes por herpes;

  • em cicatrizes de queimaduras.

Caso o paciente não se enquadre em nenhum desses casos, o médico solicitará o histórico médico, fazer os exames físicos e discutir sobre os possíveis resultados que serão alcançados com o procedimento.

Se estiver tudo certo, será necessário parar de usar alguns medicamentos, evitar fumar nas semanas anteriores, tomar de forma preventiva medicamentos antivirais e antibióticos e evitar exposição solar.

Quais as diferenças em relação peeling químico?

Por terem o mesmo objetivo, que é amenizar algumas imperfeições epiteliais, a dermoabrasão e o peeling químico diversas vezes são confundidos. No entanto, existem diferenças bastante significativas entre eles.

O peeling químico é mais indicado para quem tem manchas na pele, linhas de expressão e flacidez causadas devido à idade ou perdas bruscas de peso. Ele atua removendo as camadas que estão comprometidas e suaviza a textura da pele. Também pode ser feito por quem se incomoda com a pele áspera em outras partes do corpo, como mãos, pescoço e áreas com estrias.

No caso do peeling químico, existem diferentes níveis de profundidade da esfoliação (superficial, médio e profundo). A escolha dependerá do objetivo do paciente e da situação em que a pele se encontra.

Já a dermoabrasão é um pouco mais invasiva que o peeling, afinal, a técnica se baseia em uma raspagem cirúrgica. Além disso, o seu objetivo está mais direcionado a minimizar marcas mais profundas na pele.

Como deve ser o pós-operatório?

Depois que for feita a dermoabrasão, a pele normalmente ficará avermelhada, sensível e apresentará um pouco de inchaço em decorrência da raspagem. Além disso, pode causar queimação, dor e formigamento, sintomas que são controlados com a medicação recomendada pelo médico.

Após uma semana, esses sintomas vão desaparecer e a área que sofreu a raspagem vai formar uma casca, que sairá assim que a nova camada da pele crescer.

Em geral, após duas semanas de descanso, o paciente já poderá voltar às atividades normais. Mas, no período pós-cirúrgico é imprescindível evitar qualquer tipo de impacto ou colisão na área tratada.

A exposição ao sol também deve esperar por pelo menos 6 semanas e, ao longo dos 12 primeiros meses o cuidado deve ser redobrado, afinal, a pele estará um pouco mais sensível e ainda não terá a pigmentação completamente formada. No caso de homens, o médico dará uma orientação específica para o uso de barbeadores.

Na grande maioria das situações a melhora da pele é contínua e, caso o paciente perceba alguma anormalidade, como vermelhidão e coceira em excesso, deve procurar um médico. Os resultados definitivos aparecerão após alguns dias, desde que as recomendações do profissional sejam seguidas à risca.

Agora que você já sabe o que é dermoabrasão e suas indicações, lembre-se de procurar um médico cirurgião plástico credenciado pela SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica) para realizar o procedimento com qualidade e segurança e que explique sobre os resultados de acordo com as suas expectativas. Além disso, é fundamental que tudo seja feito em uma clínica que ofereça segurança e profissionais treinados.

Caso tenha ficado alguma dúvida ou se você tiver interesse em saber mais sobre esse procedimento, entre em contato conosco!

Veja como planejar uma cirurgia plástica em 5 dicas

Qual parte do seu corpo você gostaria de modificar por meio de uma cirurgia plástica? Antes de tomar a decisão de visitar o cirurgião, é preciso analisar por que essa parte do corpo lhe incomoda tanto e qual resultado esse procedimento trará para a sua vida, se for realizado.

Na dúvida, procure por um médico e, se a avaliação for positiva, comece a planejar uma cirurgia plástica. Para obter o resultado esperado, é necessário pesquisar o tipo de procedimento e o currículo do cirurgião plástico, além de eliminar todas as suas inseguranças. 

época do ano mais indicada para fazer a sua plástica é entre o outono e o inverno, porque há a diminuição da retenção de líquido e de vasodilatação, além de que o frio é um convite ao repouso. Continue a leitura e se prepare para começar a concretizar o seu sonho!

Questione a necessidade de uma cirurgia plástica 

Essa é uma cirurgia que, dependendo do lugar, pode não haver volta — e, se ocorrer, sua despesa será ainda maior. É importante lembrar-se da frase “pediu tá pedido, não vale ficar arrependido”.

Por isso, a preparação para uma intervenção dessa natureza deve ser analisada a partir da resposta de algumas perguntas.

  • Estou fisicamente saudável?
  • Quero realmente fazer uma mudança de estilo de vida, como parar de fumar, alimentar-me com mais qualidade e evitar bebidas alcoólicas?  
  • Tenho consciência de como poderá ficar o resultado do procedimento? 
  • Quero fazer a cirurgia por vontade minha, ou para agradar outra pessoa? 
  • Conheço a competência do cirurgião plástico e quais procedimentos serão realizados? 
  • Meu médico conhece bem minhas condições médicas e os problemas de saúde que tenho?  
  • Estou pronto para fazer o pós-operatório, segundo a orientação do médico?  

Comece a planejar uma cirurgia plástica 

Ao contrário do que parece, diversos aspectos precisam ser considerados dentro do seu planejamento para que possa agendar o procedimento. Confira!

1. Informe-se sobre o procedimento 

Peça detalhes ao médico quanto aos procedimentos, como o tipo de anestesia usada, quais as orientações para o pré e pós-operatório, qual o tempo que ficará hospitalizado, os riscos da operação etc.

Com essas informações, você poderá decidir se fará a cirurgia plástica para iniciar os preparos com data marcada. 

2. Escolha um bom cirurgião plástico 

Pesquise junto à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica as qualificações do médico escolhido, e tenha certeza que estará nas mãos de um especialista reconhecido.

Caso conheça alguns de seus pacientes, questione sobre a satisfação de suas cirurgias, como foi o pós-operatório e outros detalhes. 

3. Mantenha um planejamento financeiro 

Verifique os custos do procedimento e as formas de pagamento para saber quanto precisará economizar para conseguir o dinheiro para sua cirurgia. Solicite ao médico que discrimine cada custo, como o seu trabalho, o do anestesista, materiais, hospital entre outros. Assim, você terá uma visão global do procedimento. 

Coloque, em suas despesas, a compra de uma cinta ou um sutiã cirúrgico, sessões de drenagem linfática, massagens e outros tratamentos para auxiliar na recuperação. 

Para levantar o dinheiro necessário, você pode fazer uma poupança, um parcelamento, financiamento ou consórcio. São várias as opções para facilitar a realização de seu sonho! 

No quesito parcelamento, os médicos facilitam a quantidade de prestações. Ainda, pode ser paga uma entrada e o resto parcelado — cada médico trabalha de uma forma. 

As cartas de créditos dos consórcios têm sido usadas para pagar as cirurgias plásticas. Na outra ponta, alguns bancos têm oferecido linhas de crédito para os pacientes realizarem os procedimentos. 

4. Saiba como devem ser feitos os procedimentos pré-operatórios 

Existem alguns cuidados básico para qualquer cirurgia plástica, como ficar em jejum de 8 horas e poder ingerir somente água, chá sem açúcar ou suco de laranja natural coado até 3 horas antes do procedimento.

Alguns medicamentos devem ser evitados, como os que prejudicam a coagulação, anti-inflamatórios não hormonais, fórmulas de emagrecimentos e estimulantes. 

O cigarro prejudica a circulação e provoca má formação das cicatrizes, aumentando o risco de trombose, embolia pulmonar e queloides. Por isso, evite fumar um mês antes e um mês depois da cirurgia. 

No dia do procedimento, tome banho com sabonete neutro, lave os cabelos e seque-os. Verifique com o seu médico se você pode depilar a área que será operada. Mantenha a pele bem hidratada, para evitar estrias — passe creme, pelo menos, duas vezes ao dia. Retire o esmalte da unha e a maquiagem do rosto, e não use joias ou bijuterias. 

Vá para o centro cirúrgico com todos os seus exames, documentos pessoais e guia de internação. Leve também trocas de roupas fáceis de serem vestidas. 

5. Veja como deve ser o pós-operatório 

Para o pós-operatório, existem algumas orientações específicas conforme o tipo de cirurgia. Porém, em geral, o indicado é: 

  • consulte o médico quantas vezes forem necessárias, para que você tenha boa recuperação e para que ele possa fazer o acompanhamento; 
  • faça a troca dos curativos com enfermeiros e evite molhá-los, a não ser que seja autorizado; 
  • controle a ansiedade de voltar às tarefas diárias, pois isso encurta o tempo de repouso necessário — não seja teimoso e siga as orientações médicas, para não ter a sua plástica comprometida; 
  • faça drenagem linfática para auxiliar na redução do inchaço e evitar nódulos, fibrose e protuberâncias na pele, se necessário; 
  • use cinta ou malha compressiva — conforme a cirurgia e se necessário — para que possa diminuir o inchaço e modelar o corpo, visando voltar ao normal de forma mais rápida; 
  • evite esforços e movimentos bruscos para não prejudicar a cicatrização, de acordo com a determinação do médico; 
  • evite tomar sol por, pelo menos, 30 dias — os raios solares atrapalham a cicatrização;
  • tome todos os medicamentos prescritos pelo tempo exigido;
  • não siga dicas de amigos e familiares, somente de seu médico. 

Para planejar uma cirurgia plástica, é preciso considerar vários detalhes, desde a pesquisa de um cirurgião plástico qualificado, até quem fará companhia a você no hospital. Por isso, esteja atento a cada fase. 

Quer saber mais sobre a plástica e outros procedimentos? Então, aproveite a sua visita para ler o nosso artigo sobre lipoaspiração e fique bem informado sobre o assunto. 

Confira já 7 dicas para acabar com a celulite de vez

A celulite é caracterizada pelo aparecimento de vários “furinhos” na pele em diversas partes do corpo, afetando principalmente o bumbum e as pernas. O seu surgimento está relacionado a uma alteração provocada pelo acúmulo de toxinas, água e gordura nas células, fazendo com que elas fiquem endurecidas e cheias, o que deixa o local com nódulos e desníveis. Assim, para tentar acabar com a celulite, é preciso mudar alguns hábitos de vida.

Em geral, o problema não apresenta sintomas além do aspecto visível na pele, que é o de casca de laranja. Mas em graus avançados, a pele pode parecer acidentada, com vales e picos. Assim, por ser algo comum, existem vários tratamentos eficazes que podem eliminar ou atenuar a celulite.

Neste post, vamos apresentar 7 dicas de como tratar a celulite e mostrar quais são os principais tipos desse problema. Confira!

Quais são os tipos de celulite?

O primeiro passo para tentar eliminar a celulite de vez é descobrir qual tipo você tem. Ela pode ser classificada quanto à evolução e quanto ao aspecto. Em relação à evolução, ela é classificada em 4 graus:

  • grau I: não é palpável e nem visível. Surgem apenas alterações histopatológicas iniciais;
  • grau II: não é palpável e nem visível pelo pinçamento digital, no qual se observa a pele com um aspecto de laranja. Além disso, a pele fica fria, pálida e com elasticidade diminuída;
  • grau III: é palpável e visível;
  • grau IV: os nódulos são palpáveis, visíveis e maiores, aderidos a planos profundos e dolorosos.

Além disso, a celulite também pode ser classificada em relação à consistência da pele:

  • flácida: mulheres e pessoas sedentárias que perderam bastante peso, o que leva à flacidez;
  • dura: pessoas jovens e que praticam atividades físicas regulares. O aspecto de casca de laranja só surge se comprimido com os dedos;
  • mista: representa a evolução de uma forma antiga para outra. A celulite pode estar endurecida na parte de fora da coxa e já ter a forma flácida na face de dentro;
  • edematosa: ocorre em mulheres jovens e que tomam anticoncepcional. O edema e o aspecto de casca de laranja são precoces.

Como acabar com a celulite?

Abaixo, confira algumas dicas para acabar com esse problema!

1. Mantenha uma alimentação saudável

Para combater a celulite, é essencial adequar a alimentação e evitar ingerir alimentos fritos, processados, enlatados e ricos em açúcar e gordura. Por isso, dê preferência aos alimentos saudáveis, como cereais integrais, frutas, verduras e legumes. Cada pessoa apresenta uma necessidade individual da quantidade de proteínas, minerais e vitaminas que precisa por dia. Por isso, consulte um nutricionista que poderá indicar as quantidades diárias.

2. Beba bastante água

Para abrir os vasos sanguíneos da pele e preservar o sistema de remoção de impurezas do organismo, é necessário beber muita água. Apenas com esse hábito é possível notar diversas mudanças na pele em geral e no funcionamento de todo o metabolismo. Assim, a água faz com que as toxinas sejam eliminadas e os nutrientes cheguem à pele.

Para combater o incômodo, os chás e sucos também podem ser ótimos aliados. Quando se mistura os dois, fazendo os famosos suchás, o desempenho é ainda melhor. Logo, utilize chá de hibisco, cavalinha ou chá-verde e escolha uma fruta da sua preferência.

3. Pratique exercícios físicos

Se você quer melhorar a aparência dos “furinhos” e evitar que novos surjam, pratique atividades físicas regularmente. Elas ajudam a eliminar a gordura localizada do quadril e glúteos, além de proporcionarem a melhora da circulação e, por consequência, da aparência da pele. Assim, as melhores opções são pilates, musculação, corrida, caminhada etc.

4. Faça massagens

As massagens auxiliam na melhora da aparência da pele quando combinadas com as dicas anteriores. Logo, a drenagem linfática e as massagens modeladoras diminuem as toxinas, já que provocam a circulação sanguínea. A drenagem linfática, por exemplo, é indicada para os casos iniciais, estimulando a eliminação de toxinas e líquidos do corpo.

Já a massagem modeladora, apesar de não ser indicada para a celulite, e sim para perdas de medidas, pode auxiliar, já que aumenta o fluxo sanguíneo na área massageada, o que favorece a diminuição dos “furinhos”. A automassagem pode ser muito benéfica se associada a cremes. O ativo mais indicado é a cafeína, que inibe a ação da enzima que estoca gordura.

5. Use cremes

Os cremes anticelulite são grandes aliados na hora de combater o problema. Eles são indicados para tratar a celulite grau I e grau II, quando existem depressões mais superficiais e em pouca quantidade. O ideal é que o tratamento utilizando cremes dure 2 meses. Nesse período, é importante usar o cosmético duas vezes ao dia, aplicando o produto com massagens, pois os movimentos ativam a circulação. 

6. Diminua a ingestão de sal

Evitar o consumo excessivo de sal é essencial para quem deseja tratar a celulite. Isso porque ele aumenta a retenção de líquido que está relacionado ao aparecimento do problema. Por isso, uma boa opção é adicionar sal somente no final do preparo das refeições e aumentar a quantidade de ervas aromáticas, como manjericão, orégano e tomilho. Outra estratégia é não colocar sal na salada, optando pela mistura de azeite e limão.

7.Faça tratamentos estéticos

Quando todas as mudanças de hábitos anteriores já foram feitas e o aspecto rugoso da pele continua, uma boa opção é optar pelos tratamentos estéticos. Entre as opções para esse fim, existem a radiofrequência, a carboxiterapia, a mesoterapia, a criolipólise, a corrente russa etc.

A radiofrequência é o tratamento a laser mais indicado, pois melhora a flacidez e a circulação de sangue no local. A técnica atua por meio da produção de calor no tecido por baixo da pele, induzindo a produção de novas fibras colágenas. Com a redução da gordura localizada, ocorre a melhora do aspecto da celulite. 

Se você não conhecia as dicas de como acabar com a celulite, saiba que é preciso mudar alguns hábitos de vida. Por isso, mantenha uma alimentação saudável, pratique exercícios físicos, faça massagens, use cremes e procure uma clínica para tratamentos estéticos. Além disso, para evitar que o problema apareça, evite usar roupas muito apertadas, pare de fumar e tente ingerir menos açúcar.

Gostou do conteúdo sobre como tratar a celulite e quer ficar por dentro das nossas novidades? Então, nos siga nas redes sociais. Estamos no Facebook e no Instagram!

Cirurgia de expansão de tecido: quando pode ser realizada?

A medicina tem proporcionado mais uma opção de cirurgia reparadora com a técnica de expansão de tecido. Usar esse procedimento, em vez de retalhos ou enxertos de pele, oferece resultados melhores aos pacientes.

Inclusive, é muito usado em pessoas que sofreram queimaduras ou para reparação de mama, após o tratamento de câncer. Partes como as costas e o tronco têm a pele mais grossa e não oferecem condições adequadas para esse tipo de procedimento.

Veja se você se enquadra entre os casos indicados para realizar a cirurgia de expansão de tecido. Boa leitura!

O que é e como é feita a cirurgia de expansão de tecido?

A técnica de expansão de tecido consiste em fazer com que o próprio organismo produza uma nova pele para ser usada em alguma parte do corpo. É recomendada para a reconstrução de mamas, de partes do couro cabeludo, para recuperação de queimaduras e de lesões nos membros superiores e inferiores.

Procedimento

Dependendo do tamanho da área a ser expandida, a cirurgia plástica demora de uma a duas horas. O cirurgião fará uma incisão pequena no local para inserir o balão expansor de silicone sob a pele. O balão tem um tubo e uma válvula de autovedação para que possa encher com a solução salina. A válvula é colocada abaixo da superfície da pele.

Periodicamente, você deverá ir ao consultório para que o líquido seja injetado no expansor para manter a pele esticada. Quando houver o crescimento suficiente da pele, é o momento da segunda fase, em que o expansor será removido e a pele nova reposicionada.

Na cirurgia de reconstrução de mama, a retirada do expansor e o implante de silicone permanente são feitos de forma breve. Já casos mais complexos, como reparação de pele do rosto e do couro cabeludo, são mais demorados, por exigir uma sequência de expansão para concluir o procedimento.

A técnica auxilia toda pessoa que precisa de pele adicional, sendo homens, mulheres, crianças e idosos, independentemente da idade. Pode ser feita em pernas, mãos, braços, pescoço ou rosto, desde que o tecido e os músculos estejam saudáveis e tenham sido submetidos a exames prévios. Se a pele da região estiver com algum problema e cicatrizes, não terá como realizar a técnica.

Considerações

O procedimento é ideal para a reparação do couro cabeludo, pois com a pele esticada o organismo mantém o crescimento do cabelo. Porém, isso não acontece com a mesma intensidade em outras partes do corpo.

Na reconstrução da mama, após o desenvolvimento da pele para a retirada do expansor, é colocado um implante permanente para que a mulher volte a ter seu seio.

Quais as vantagens e desvantagens do uso da técnica?

Com o método, os cirurgiões têm mais uma opção, além de trabalhar com retalhos e enxerto, para reconstruir tecidos com problemas. Mas claro que existem vantagens e desvantagens.

Benefícios

Como há o crescimento da mesma pele, existe a semelhança de cor, textura e produção de pelo daquela já existente. Dessa forma, não haverá grande diferença no pós-cirúrgico. A pele da pessoa doadora continua ligada à área de sangue e nervo. Assim, o risco de haver uma necrose é minimizado.

As cicatrizes ficam quase invisíveis, pois a pele não precisa ser removida de uma região para outra. Por fim, o risco de infecções é mínimo porque o corpo não rejeita a própria pele.

Desvantagens

  • demora no crescimento da pele, que é de aproximadamente quatro meses;
  • aparecimento de protuberâncias, ou seja, caroços de variados tamanhos, coloração e consistência durante o processo de expansão,
  • formação de líquido na região;
  • hematomas;
  • cicatrização com imperfeições;
  • sensibilidade na pele;
  • riscos com a anestesia;
  • dor ou desconforto durante a expansão e no pós-cirúrgico;
  • trombose venosa profunda;
  • alergia aos fios de sutura imergindo na pele;
  • possibilidade de nova cirurgia.

Como deve ser o pré-operatório?

O cirurgião plástico avaliará idade, condições da pele, histórico médico, exames que serão solicitados, flexibilidade e tolerância a algum problema relacionado ao procedimento. Tudo isso para saber se a cirurgia de expansão de tecido será a mais indicada para seu caso.

Aproveite o momento para tirar suas dúvidas e compreender tudo sobre a cirurgia plástica, por exemplo:

  • Como será realizado o procedimento?
  • Qual deverá ser o resultado?
  • Se não ficar como esperado, quais atitudes serão tomadas?
  • Caso tenha alguma complicação, de que forma será tratada?

Considere as instruções dadas pelo médico quanto ao que se deve comer e beber, se pode tomar ou se deve evitar algum medicamento. Se você for fumante, ele pedirá que pare com o hábito, pelo menos duas semanas antes do procedimento, pois o cigarro reduz a circulação de sangue e dificulta a cicatrização.

Quais os cuidados indispensáveis com o pós-operatório?

A extensão e a complexidade da cirurgia determinarão o desconforto que vai sentir após o procedimento de colocação do novo tecido. Porém, isso pode ser controlado por meio de medicamentos.

O incômodo também pode aparecer por uma a duas horas quando for injetar a solução salina no expansor, durante o pós-operatório. O importante é seguir todas as orientações dadas pelo cirurgião plástico para evitar complicações.

No dia da cirurgia, peça que alguém faça companhia a você no hospital para evitar esforços e para chamar um enfermeiro ou um médico, se for preciso.

Ao se decidir por fazer a expansão de tecido, pesquise sobre a experiência do cirurgião plástico, se ele faz parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e se será realizada em um centro cirúrgico. O local deve ter licença da Vigilância Sanitária, equipamentos especializados e equipe treinada para qualquer eventualidade.

Essa metodologia tem trazido grandes resultados para reconstruir ou reparar a pele danificada. Porém, considere que é para melhorar a região afetada e não para deixá-la perfeita. O procedimento, depois de realizado, aumenta a qualidade de vida do paciente.

Neste artigo, você pôde aprender sobre a cirurgia de expansão de tecidos, para quais casos são indicados, suas vantagens e desvantagens. Também aprendeu sobre cuidados com o pré e o pós-operatório para que possa procurar um cirurgião plástico e fazer o reparo necessário no seu corpo.

Não fique com dúvidas ou insegurança: para se sentir melhor com seu corpo, entre em contato com nossa empresa. Estamos prontos para atender você com todos os cuidados e as informações necessárias.

O que é e como funciona o preenchimento cutâneo?

A medicina estética tem evoluído muito. Assim, procedimentos que antes eram realizados por cirurgia plástica, hoje, apresentam técnicas menos invasivas e com bons resultados, como é o caso do preenchimento cutâneo ou dérmicos injetáveis, que trazem o rejuvenescimento que as pessoas buscam. 

Você se olha no espelho e percebe que está aparecendo rugas, bigode chinês ou quer ter lábios mais carnudos? Aí, logo pensa em fazer um preenchimento cutâneo para se sentir melhor consigo, mas não tem muita informação sobre o assunto ou tem medo. Calma, neste artigo, você poderá ter todas as informações necessárias para procurar um médico habilitado e fazer o procedimento com tranquilidade. Confira! 

O que é o preenchimento cutâneo?

Muito utilizado na medicina estética, o preenchimento cutâneo é um tratamento que corrige sulcos, rugas, olheiras, faz o aumento do volume labial, reduz as cicatrizes de acne e da perda do contorno facial.  

Para que essas melhoras ocorram, é aplicado uma injeção com substâncias por baixo da pele, na região a ser tratada, para reduzir a profundidade das marcas dando um aspecto natural. A substância preencherá os espaços entre as células levantando ou aumentando a superfície da pele no rosto. 

No preenchimento cutâneo, a substância usada não modifica a expressão facial, pois se movimenta junto à pele, ao contrário do que ocorre com a aplicação da toxina botulínica (Botox).  

O que tem a ver com o rejuvenescimento facial? 

Não tem como fugir do envelhecimento e isto é refletido na face devido à reabsorção da estrutura óssea e do deslocamento das bolsas de gordura do rosto. Outro fator que colabora, é a diminuição da produção de colágeno, aumentando a flacidez e a sustentação da pele. Com o preenchimento cutâneo, o rosto volta a ter os contornos e marcas mínimas dando uma aparência de rejuvenescimento. 

Como funciona o preenchimento cutâneo? 

O cirurgião ouvirá sua queixa e avaliará seu rosto e tom de pele para saber onde deverão ser realizados os preenchimentos. Depois, são feitas as marcas dos pontos estratégicos que serão os guias para fazer a aplicação da injeção. 

Os lugares que receberão a injeção serão limpos com agente antibacteriano, para que possa receber um anestésico tópico, evitando desconforto nas aplicações. Dependendo da profundidade das marcas, na substância de preenchimento, é acrescentado anestésico para minimizar as dores. O procedimento é rápido levando alguns minutos, em alguns locais é questão de segundos. 

Ao término, os pontos marcados são limpos e é colocado uma bolsa de gelo para aliviar o desconforto do momento. Para tampar as marcas e hematomas pode-se usar a maquiagem, desde que não movimente a substância colocada nos locais. 

Há duas formas de fazer os preenchimentos dérmicos injetáveis, a temporária e a semipermanente. 

Temporária 

A técnica de preenchimento dérmico injetável pode ser feita colhendo a gordura do próprio corpo, por meio da lipoaspiração, para depois injetar nas regiões do rosto a serem corrigidas. Esse procedimento elimina o risco de reação alérgica ou rejeição pelo corpo. 

Como nem todas as células de gordura sobrevivem quando são transplantadas para outra região, podem ocorrer uma reabsorção do organismo. Por isso, os médicos acrescentam um pouco a mais da gordura, dando, no início, um aspecto anormal, mas que logo se normaliza. A gordura excedente também pode ser armazenada para fazer os retoques necessários. 

Outra substância utilizada, e que também é produzida pelo corpo, é o ácido hialurônico, encontrado no tecido conjuntivo mole, no fluido que contorna os olhos e articulações, algumas cartilagens e tecido da pele.  

Há, ainda, a hidroxiapatita de cálcio, que é a substância mais densa dos preenchimentos faciais, encontrada no osso humano. É um mineral usado para preencher marcas bem profundas, melhorar o contorno das bochechas e da face. 

Já o ácido poliláctico, é sintético e estimula a produção de colágeno no corpo. Tem apresentado resultados satisfatórios quando injetados na metade inferior da face para diminuir as linhas do riso, preencher os lábios e sulcos nasolabiais. No entanto, o poliláctico não mostra resultados imediatos, eles começam a aparecer ao longo dos meses porque depende do estímulo da produção de colágeno. 

A durabilidade do procedimento de preenchimento dérmico injetável é de meses a um ano e meio, dependendo do material usado e da absorção do organismo da pessoa. O indicado é que se faça manutenção para não perder o tratamento. 

Semipermanente 

O tratamento de preenchimento semipermanente é realizado com polimetilmetacrilato, o famoso PMMA. Essa substância pode ser removida a qualquer momento. Geralmente, é usado para tratar rugas e sulcos de médio a profundo, inclusive para preencher cicatrizes e lábios finos. 

Quem pode fazer o procedimento? 

Mulheres e homens de qualquer idade, mesmo os mais jovens, que queiram amenizar marcas que incomodem, como olheiras, rugas, bigode chinês, flacidez etc. A técnica também é usada no contorno da mandíbula para harmonizar mais o rosto. 

Quais devem ser os cuidados após os preenchimentos dérmicos injetáveis? 

Os pacientes que se submetem a esse preenchimento cutâneo, retornam as suas atividades diárias imediatamente, pois as anestesias são locais e não é preciso ficar de repouso. O recomendado é que não coce ou esfregue a área tratada para que a aplicação permaneça íntegra pelo período determinado pelo médico. 

O inchaço, hematoma e aparência mais volumosa que aparecerem são normais e somem em alguns dias. Caso o preenchimento venha a ser feito com substância não humana, é necessário um teste de alergia antes do procedimento para evitar complicações. 

A Sociedade Brasileira de Dermatologia alerta que os preenchimentos cutâneos devem ser realizados somente por médicos habilitados que saberão tratar qualquer complicação. Assim, pesquise sobre a qualificação do médico escolhido, se a clínica está preparada para esse tipo de intervenção, para que tenha segurança no procedimento e bom resultado no tratamento. 

Somente o médico saberá, por meio da consulta, qual substância será a ideal para que obtenha o resultado almejado pelo paciente. Geralmente, são indicadas substâncias temporárias, porque se a semipermanente for inserida em posição errada haverá problemas para sua retirada, comprometendo o trabalho do médico. 

Quer saber mais sobre os preenchimentos dérmicos injetáveis ou tem alguma dúvida sobre alguma cirurgia plástica? Entre em contato para que possamos esclarecer e dar as informações corretas. 

Tratamento facial a laser: esclareça suas dúvidas!

resurfacing a laser, conhecido também como tratamento facial a laser, é uma técnica inovadora e que tem alcançado excelentes resultados. O tratamento atinge diversas camadas da pele, conforme o problema apresentado pelos pacientes. 

Por ser um tratamento que exige cuidados específicos, é importante que seja realizado por especialistas como dermatologistas e fisioterapeutas dermatofuncionais que fazem uma avaliação e analisam as contra indicações. Gestantes e pessoas com a pele muito ressecada, por exemplo, não podem passar pelo procedimento. 

Quer entender um pouco mais sobre o procedimento? Então, continue a leitura para conferir informações importantes sobre o resurfacing a laser! 

O que é o resurfacing a laser? 

resurfacing a laser é um procedimento em que o laser cria uma nova camada de pele após sua utilização. Para isso, o computador informa a profundidade da penetração do laser dentro da pele para poder tratar, por exemplo, uma ruga profunda na testa.

Para que o processo ocorra com segurança, há uma luz que serve para guiar o profissional do local que está sendo atingido.  Depois disso, é formado um tecido sobre a pele ressecada que, posteriormente, será substituído por células novas.

Assim, além de minimizar o problema, o procedimento estimula a formação de colágeno, melhorando a estética do rosto. O resultado começa a ser visto a partir de dez dias da sessão e tem uma melhora progressiva até 6 meses do procedimento. Vale ressaltar que a idade e a alimentação também contribuem para o pós-tratamento. 

Em quais situações é recomendado o tratamento facial a laser? 

O tratamento é indicado para pessoas que sofrem com olheiras, manchas, flacidez ou que desejam rejuvenescer a pele. Contudo, antes de realizá-lo é preciso passar por uma avaliação criteriosa do profissional responsável pelo procedimento. 

Como funciona o tratamento e o pós? 

O tratamento inicia com o uso de cremes clareadores para obter um melhor resultado. Caso necessário, é indicado também um medicamento para herpes  que deve ser tomado com um dia de antecedência  já que pode ser um efeito colateral do laser. Depois disso, as sessões podem ser iniciadas, e a quantidade varia de acordo com problema apresentado e a profundidade das aplicações. 

Após o procedimento, a região do rosto afetada tende a ficar avermelhada e quente. A sensação é de como se tivesse tomado sol, devido à ardência. No entanto, o desconforto desaparece em cerca de duas horas, ficando somente um inchaço. O paciente deverá manter a face hidratada para que ocorra a descamação e a renovação celular. O médico também pode ajudar indicando ácidos e vitaminas para que você tome. 

Quais cuidados devem ser tomados antes das aplicações? 

Não pense que você que decidiu fazer o resurfacing a laser vai pegar seu dinheiro e ir para a primeira clínica que encontrar. Conheça atitudes a serem tomadas antes, para que não se arrependa lá na frente. 

1.Busque um profissional qualificado 

Antes de realizar a resurfacing a laser procure um médico dermatologista ou fisioterapeuta dermato funcional capacitado para fazer o tratamento. Informe quanto a todos os medicamentos que você toma, pois há aqueles que podem atrapalhar a cicatrização e aumentar o sangramento. 

2.Pare de fumar 

Qualquer pessoa que seja fumante recebe recomendação do médico para que evite o cigarro até duas semanas antes do processo estético, pois o tabaco dificulta a cicatrização, podendo deixar até queloide. 

3.Evite o bronzeamento 

Caso você faça o tratamento em pleno verão, sua pele não pode estar queimada pelo sol. Como o sol não é um estímulo natural de mudança de cor de pele, o laser não consegue achar a tonalidade certa. Outro problema está na atração da luz do laser, podendo provocar manchas ou queimaduras na pele. Se tiver tomado sol, aguarde de 15 a 20 dias para iniciar o tratamento. 

Após o procedimento, quais são as orientações? 

Por mais avançada que esteja a medicina, o processo de recuperação depende muito da conduta do paciente, sendo assim, veja as recomendações para o pós-tratamento facial a laser. 

1.Hidrate a pele  

A hidratação da pele é importante pelo menos três vezes ao dia, com creme para peles sensíveis, pois a pele fica vulnerável. Cremes com fórmulas específicas, indicadas pelo médico, são os mais apropriados. Beba dois litros de água todos os dias para que seu organismo não sofra com a falta dela. 

2.Evite o sol  

Se proteger do sol durante o período de vermelhidão da pele ajuda na recuperação. Caso tenha que se expor ao sol use o protetor solar indicado para seu caso, principalmente nos primeiros dias para que manchas pretas da cicatrização não fiquem marcadas. 

3.Use sabonete facial neutro  

Como a pele está bem sensível é melhor usar um sabonete neutro facial suave, pois o rosto passará por uma descamação por vários dias. Aproveite para colocar água morna ou fria em seu rosto de forma que não irrite a pele. Isso alivia o desconforto e o repuxamento provocado pelo tratamento. 

4.Faça compressa de chá  

O chá de camomila é um ótimo cicatrizante. Assim, faça compressas no rosto com essa erva para reduzir a vermelhidão e o inchaço. Se o chá estiver gelado, melhor ainda, pois ajudará a refrescar a pele. 

5.Tenha boa alimentação  

Mesmo com estas recomendações, é importante não se descuidar da alimentação, que deve ser rica em proteínas e vitamina D para acelerar a recuperação da pele. Os resultados logo aparecerão, mostrando uma pele luminosa, com rugas bem suaves e uma aparência mais jovem.

O tratamento facial a laser tem longa duração, assim, aproveite para fazer uma manutenção permanente. Geralmente, se submetem ao resurfacing a laser as pessoas que querem evitar o bisturi e não têm indicações para uma cirurgia plástica, porque têm poucas marcas de expressão. 

Agora que você conheceu o resurfacing a laser e entendeu o que é e como funciona esse tratamento, não fique brigando com seu espelho e muito menos com você. Neste artigo foram explicadas as indicações e os cuidados que devem ser tomados antes e pós-tratamento. Aproveite que hoje em dia há muitas formas de tratamento para manter sua autoestima elevada e sentir prazer em estar em sua companhia.  

Se ficou alguma dúvida sobre o tema ou caso queira conhecer outros procedimentos, entre em contato com nossa empresa para que possamos lhe ajudar da melhor forma possível. 

Descubra o que é Fio Russo e como ajuda no rejuvenescimento

Há muitos anos, quem estivesse insatisfeito com a sua aparência ou com o efeito do envelhecimento natural não tinha muito o que fazer além de aceitar. Hoje, felizmente, com o avanço da medicina e das técnicas de cirurgia plástica, já existem diversos procedimentos capazes de retardar o envelhecimento da pele e até alterar alguns traços.

O avanço da idade faz com que a pele não seja mais a mesma. A perda de elasticidade e do colágeno faz com que o tecido apresente um visual flácido e envelhecido, o que acaba dando uma aparência de mais idade. E nem todo mundo quer isso, não é mesmo?

Uma das formas de reverter os efeitos do envelhecimento da pele é o fio russo. Trata-se uma tecnologia que foi remodelada e, hoje, apresenta resultados muito satisfatórios, podendo ser usada no rosto e em outras partes do corpo.

Você conhece essa técnica? Neste post, vamos falar do efeito de rejuvenescimento do fio russo, como o procedimento é feito e, ainda, quais são os benefícios de realizá-lo. Confira!

O que é fio russo?

O fio russo é uma técnica antienvelhecimento facial que recebeu esse nome por causa de seu criador, o cirurgião plástico russo Marlen Sulamanidze. Trata-se de um procedimento estético relativamente simples, mas que deve ser feito por cirurgiões plásticos. O seu principal objetivo consiste em aumentar a sustentação da pele nas áreas em que ela está mais flácida.

O procedimento é realizado a partir da incisão de um fio — que pode ser de diferentes materiais — sob a pele, em camadas mais profundas de gordura. A ideia é que a pele seja puxada para trás, disfarçando as linhas de expressão e a flacidez. Para que isso funcione, o fio é preso em uma superfície mais alta e escondida com pequenas garras.

Essa é uma técnica com resultados satisfatórios e que, por conta da facilidade e da rápida recuperação, está se tornando muito indicada por cirurgiões e bem-aceita por pessoas que estão em busca de ter mais harmonia facial sem passar por outros procedimentos mais invasivos.

Indicações

O rejuvenescimento do fio russo pode ser utilizado em diversas áreas do corpo, tais como:

  • Rosto: foco principal da cirurgia, tem o objetivo de eliminar rugas e linhas de expressão, deixando um acabamento impecável;

  • Nariz: também pode auxiliar no procedimento de rinoplastia;

  • Sobrancelhas: o fio russo ajuda a erguer a sobrancelha, eliminando o aspecto de olhar triste e deixando a região arqueada;

  • Mamas: tem objetivo de erguer as mamas de mulheres com flacidez devido à gravidez ou grandes perdas de peso;

  • Glúteos: também conhecido como “fio levanta bumbum”, tem como objetivo erguer os glúteos de forma natural, influenciando também na correção da postura corporal.

Tipos de fio

Nos anos 90, um tipo de fio fez bastante sucesso nos procedimentos de rejuvenescimento: os fios de ouro ou à base de materiais metálicos. Apesar dos resultados positivos, esse tipo de material não era absorvível pelo rosto, o que, com o tempo, poderia causar alguns inconvenientes, como a oxidação, deixando uma sombra esverdeada.

Hoje, existem os fios de PDO (polidioxanona), que são absorvíveis pelo corpo humano. Isso é uma vantagem, pois o risco de rejeição é praticamente zero e, além disso, com o passar dos anos, o corpo absorve o material sem causar nenhum dano à saúde ou à aparência.

Como é feito o procedimento de rejuvenescimento do fio russo?

O procedimento para a inserção do fio russo nas camadas de gordura deve ser feito por um cirurgião plástico membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, em uma clínica com infraestrutura adequada.

Para se submeter ao procedimento, o paciente precisa passar por alguns exames básicos que atestem as condições mínimas de saúde e também pelo coagulograma, visando identificar se o sangue do paciente tem condições de coagular e evitar hemorragias.

No dia da colocação do fio russo, o paciente receberá uma anestesia local, e o médico fará um pequeno corte no lugar onde ocorrerá a inserção. O fio — ou fios, dependendo da necessidade estética do paciente — será inserido entre a pele e a camada de gordura. Em seguida, o profissional deverá posicioná-lo na direção exata que a pele deverá seguir.

Após o término da inserção, já será possível notar alguma diferença, mas o resultado definitivo só será perceptível a partir de 30 dias. Isso ocorre porque, como reação do corpo, há um aumento na produção de colágeno e elastina, que resulta em mais firmeza da pele, deixando a aparência ainda mais jovem.

A durabilidade dos resultados depende de uma série de fatores. Um deles consiste nos hábitos adotados pelo paciente, já que não se recomenda a exposição excessiva ao sol, o uso de cigarro ou mudanças muito bruscas de peso. Também é preciso seguir à risca as orientações médicas. Por fim, dependendo do caso, mais fios podem ser necessários para proporcionar um resultado melhor.

Quais são os benefícios da técnica?

O fio russo, além de ótimos resultados no que diz respeito à melhora da firmeza e elasticidade da pele, também apresenta outras vantagens, tais como:

  • aplicação de anestesia local, permitindo que o paciente possa voltar para casa logo após a cirurgia;

  • rápida recuperação, pois, em até 24 horas, já é possível retomar as atividades;

  • resultado imediato, permitindo notar diferenças na pele em apenas algumas horas após o procedimento;

  • ausência de cicatrizes visíveis, uma vez que os cortes são mínimos e em locais discretos;

  • boa aceitação do organismo, o que evita complicações;

  • estímulo à produção de colágeno, melhorando a firmeza da pele;

  • procedimento indolor;

  • tranquilidade no período pós-operatório, sendo necessário seguir as recomendações médicas;

  • possibilidade de ser realizado em pessoas idosas, diferentemente de outros procedimentos estéticos.

Todos esses benefícios do fio russo só podem ser aproveitados caso você escolha uma clínica com boa reputação na área e um cirurgião que esteja apto para realizar tal procedimento. Com isso, o rejuvenescimento por meio da técnica será mais palpável e você terá a harmonia facial novamente.

Ficou na dúvida sobre o procedimento, suas indicações, vantagens e resultados? Entre em contato conosco agora mesmo! Estaremos prontos para responder.

Já ouviu falar sobre MD codes? Saiba mais sobre essa técnica de preenchimento facial!

Você se olha no espelho e nota uma ruga aqui e outra ali que lhe incomodam, causando preocupação e baixa autoestima? Já pensa num tratamento de rejuvenescimento facial, afinal há tantas novidades na medicina estética? Então precisa conhecer uma novidade lançada em 2016, que ainda é considerada inovadora: a MD codes. 

Diversas artistas têm utilizado esse tratamento para manter beleza e jovialidade, mas não se engane: a técnica também é acessível para você. Basta procurar por um cirurgião plástico ou dermatologista com expertise no desenvolvimento de preenchimento facial para deixar seu rosto harmonioso!

Antes de contratar o tratamento, continue a leitura para ficar por dentro de informações relevantes e anotar outras dúvidas a serem esclarecidas junto ao seu médico!

Saiba o que é o MD codes 

Trata-se de uma prática criada pelo cirurgião plástico Maurício de Maio, em São Paulo, que estudou por 20 anos como fazer o lifting facial usando aplicações de ácido hialurônico.

A MD codes (Medical Codes – Códigos Médicos) consiste em protocolos que mapeiam de forma holística o rosto da pessoa, detalhando os pontos específicos que demandam preenchimento.

Há oito pontos de cada lado na face, sempre representados por letras e números. As letras determinam a área anatômica e os números a sequência das injeções aplicadas. No entanto, nem todos os pacientes recebem a aplicação do ácido: tudo depende de um estudo realizado. 

A avaliação é personalizada e feita pelo médico, pois cada indivíduo tem características próprias e desconfortos individuais distintos com relação à sua imagem. O preenchimento acontece com ácido hialurônico, que estimula a produção de colágeno, dando a firmeza que a pele precisa.

Essa substância tem compatibilidade com o organismo humano, visto que está presente na matriz celular preenchendo os espaços entre as células da pele para que fique lisa, elástica e hidratada. Assim, proporciona maior segurança durante e depois do procedimento.

O ácido hialurônico é empregado na medicina estética há muito tempo para amenizar as rugas mais acentuadas e redefinir o contorno do rosto que se perde com o avanço da idade. Sua aplicação controlada garante resultados pontuais.

Conheça as indicações 

Tanto homens quanto mulheres podem se beneficiar do MD codes para trazer rejuvenescimento facial, volume em alguma parte do rosto e redução da flacidez de maneira natural. A técnica também é utilizada em pessoas que ficaram flácidas devido ao emagrecimento.

A partir dos 40 anos, a procura pelo procedimento costuma crescer, devido ao avanço da idade que traz alterações na fisionomia. Entre as mudanças, estão:

  • transformações na gordura que preenche a face;

  • modificação óssea;

  • redução na espessura cutânea;

  • mudanças nos tecidos, textura e cor da pele.

O protocolo pode ser aplicado até mesmo em pessoas jovens, para trazer mais equilíbrio aos traços da face, inclusive prevenindo o envelhecimento. 

No entanto, a fisionomia não se modifica, como em uma cirurgia plástica. Na MD codes, por exemplo, se a pessoa tem um bigode chinês acentuado, a aplicação pode acontecer nas bochechas, suavizando os vincos ao lado da boca.

Caso um paciente vá à clínica para um preenchimento na testa, o médico tende a perceber que o que a pessoa precisa, de fato, é retirar a aparência cansada ou triste, considerando que os códigos MD estão ligados às áreas emocionais dos seres humanos.

Antes da MD codes, o tratamento com ácido hialurônico era realizado nos locais que necessitavam de volume. Com a nova técnica, entretanto, isso tem sido feito de modo indireto, devolvendo à face uma arquitetura harmônica sem agredir sua estrutura.

Vale lembrar que o processo é contraindicado para pessoas que têm alergia ao ácido hialurônico ou mulheres gestantes e lactantes.

Veja as principais vantagens do MD codes 

O MD codes foi desenvolvido pensando em diferentes biotipos e propósitos, com o objetivo de atender pessoas por meio de uma técnica pouco invasiva e vantajosa que:

  • depois da aplicação o inchaço causado dura poucos dias, de forma que os resultados logo aparecem, mas o definitivo surge depois de 30 dias; 
  • conforme os hábitos de vida da pessoa, sua durabilidade pode chegar a até 18 meses, pois o ácido hialurônico é absorvido pela pele; 
  • cirurgiões plásticos usam ao redor do mundo, desenvolvida por um médico brasileiro altamente qualificado e respeitado dentro da medicina estética; 
  • é pouco invasiva e não cirúrgica, podendo ser feita no consultório ou clínica com anestesia local sem comprometer o dia a dia do paciente;
  • ajuda na melhora da autoestima, trazendo mais segurança e bem-estar com a autoimagem;
  • tem valor reduzido comparado a uma cirurgia plástica, com custo-benefício considerado atraente para homens e mulheres.

Entenda para quais áreas há indicações 

A MD codes pode ser aplicada em todas as áreas do rosto. Geralmente, os pontos que recebem as intervenções são:

  • nariz; 

  • bochecha; 

  • boca; 

  • testa;  

  • sobrancelhas;  

  • bigode chinês; 

  • olheiras; 

  • queixo. 

Com anestesia local, o procedimento dura de 20 minutos a uma hora e meia. Frequentemente se faz intervenções nas bochechas e no queixo, já que são partes responsáveis por sustentar o rosto. Cada região recebe uma quantidade específica da aplicação, conforme as características clínicas individuais.

Usa-se agulhas ou uma cânula para injetar o ácido hialurônico nas regiões tratadas. Há laboratórios que garantem fórmulas de ácido hialurônico com duração de até dois anos, pois a pele, como já dito, absorve gradualmente a médio prazo.

Faça a escolha certa 

Procure um cirurgião plástico, dermatologista habilitado ou uma clínica especializada com profissionais competentes, que tenham domínio em anatomia da face e causas do envelhecimento da pele, ossos e músculos.  

O profissional deve saber avaliar e cuidar de complicações, caso ocorram. Ter conhecimentos dos limites da técnica e de quais procedimentos complementares podem ser feitos para que o tratamento seja um sucesso e a pessoa fique satisfeita é fundamental.

O rejuvenescimento e o preenchimento facial com o método MD codes hoje em dia é acessível a todas as pessoas. Agora que já sabe o que é e como funciona a técnica, além de suas vantagens, converse com uma clínica para que, ao se olhar no espelho, você se sinta uma pessoa linda e feliz consigo mesma!

Esperamos ter sanado suas dúvidas e esclarecido questões sobre o MD codes. Caso queira mais informações a respeito do assunto, entre em contato conosco!

7 estratégias incríveis para eliminar a flacidez e excesso de pele

É bastante comum sentir a pele envelhecida e mais fina depois de passar por um tratamento de perda de peso. Isso ocorre porque, ao engordar, a pele sofre uma distensão provocada pelo aumento do tecido adiposo. Assim, quando eliminamos o excesso de gordura, as fibras colágenas e elásticas perdem a capacidade de retração, tornando a pele mais flácida.

Todo o corpo sofre, mas algumas áreas são mais suscetíveis, como rosto, abdômen, coxa, glúteos e braços. Portanto, é importante mudar alguns hábitos de vida para eliminar flacidez e excesso de pele. Além disso, existem alguns procedimentos cirúrgicos que são capazes de auxiliar nesse processo, tornando a saúde e a autoestima mais elevadas.

Neste post, vamos apresentar 7 estratégias para eliminar a flacidez e o excesso de pele, além de mostrar quais são os procedimentos cirúrgicos indicados. Confira!

Como eliminar flacidez e excesso de pele?

1. Alimente-se bem

Um dos passos essenciais para diminuir o excesso de pele é manter uma alimentação saudável e balanceada, com a ingestão de hortaliças, cereais, frutas e vegetais. Esses alimentos são ricos em nutrientes e vitamina C, importantes para a beleza da pele.

A vitamina C é encontrada em determinados alimentos, como a laranja e a cenoura. Uma boa forma de inclui-los no cardápio é por meio de sucos e saladas. Além disso, para reafirmar o músculo e tensionar a pele, é necessário nutrir esses tecidos, e a melhor maneira é por meio de proteínas, sejam animais, sejam vegetais.

Entretanto, é importante escolher uma proteína magra, ou seja, aquela que será saudável e que favorecerá o endurecimento da pele flácida. Por isso, lembre-se de incluir, no cardápio, peixes, ovos, leguminosas e abacate.

2. Pratique exercícios físicos

Para tonificar e fortalecer a musculatura, praticar exercícios físicos é fundamental. Assim, os exercícios que mais podem ajudar são aqueles praticados com pesos. Parte interna dos braços, glúteos, coxa e abdômen devem ser trabalhados com movimentos específicos.

Por isso, é importante procurar uma academia ou ter ajuda de um instrutor de educação física para auxiliar nas atividades. Além disso, é necessário realizar aeróbicos moderados para o fortalecimento do sistema cardiorrespiratório e para garantir o envio de nutrientes importantes para a saúde da pele.

3. Beba bastante água

Manter uma boa hidratação da pele pode ajudar a preservar a sua elasticidade, pois as fibras de colágeno são renovadas, o que é essencial para mantê-la tonificada e firme.

Ademais, melhora a circulação e impede o inchaço provocado pela retenção de líquido. O ideal é ingerir cerca de 2 litros de água por dia. Logo, beba um pouco a cada meia hora. Além disso, caso você prefira outra bebida, opte pelos sucos naturais, pelas infusões ou por chás.

4. Faça hidroginástica

A hidroginástica elimina o excesso de pele e a flacidez, pois a água impõe um peso extra aos movimentos corporais, sendo semelhante aos exercícios de musculação, mas com menos riscos de lesões.

Além disso, diminui o estresse, auxilia no emagrecimento saudável, melhora o condicionamento físico e combate a osteoporose. O ideal é praticar de 3 a 5 vezes por semana com a supervisão de um profissional da área.

5. Não fume

Parar com o hábito de fumar é muito importante para o processo de eliminação da flacidez da pele. Isso porque cada cigarro apresenta diversas substâncias tóxicas em sua composição, comprometendo, por até 90 minutos, a oxigenação da pele, o que a deixa mais opaca, amarelada, grossa e sem viço.

Ademais, ele favorece a perda de colágeno, o que leva à flacidez e causa rugas ao redor dos lábios e dos olhos.

6. Passe cremes

Entre os produtos mais eficientes para combater a flacidez da pele, estão os cremes à base de manteiga de karité e DMAE. Esse último é uma substância que auxilia na redução da retenção de líquidos nos tecidos, eliminando as toxinas que podem causar a flacidez.

Já a manteiga de karité ajuda a acelerar a produção de colágeno, proteína que proporciona a firmeza da pele. Outra dica é usar o creme de silício, mineral presente no organismo, que, em grandes quantidades, contribui para deixar a pele dura. Assim, utilize os cremes nos locais flácidos, duas vezes ao dia.

7. Mantenha o peso

O efeito sanfona, que ocorre quando se engorda e perde-se peso com frequência, faz com que as fibras elásticas que formam a pele se rompam, provocando estrias e flacidez. Logo, ao emagrecer, é essencial manter os bons hábitos para que o peso permaneça estável e não prejudique a pele.

Quais procedimentos cirúrgicos são indicados?

Abdominoplastia

A abdominoplastia é um procedimento cirúrgico que retira o excesso de gordura e pele, além de auxiliar na recuperação da firmeza dos músculos na região abdominal. Essa cirurgia também é capaz de remover estrias localizadas, pois existe a remoção de pele. Ela é indicada para pessoas que sofrem com a flacidez no abdômen e que já tentaram eliminá-la por meio de dietas, exercícios e outros tratamentos estéticos.

Braquioplastia

A braquioplastia é uma cirurgia plástica que remove a pele em excesso na parte de dentro do braço. É um método muito indicado após grandes perdas de peso, principalmente em pessoas que realizaram a cirurgia bariátrica.

O resultado aparece rápido e o tempo de recuperação não passa de um mês, com os resultados visíveis em, aproximadamente, 3 meses. A cicatriz fica na parte de dentro do braço e o resultado é muito satisfatório para a maioria dos pacientes.

Mamoplastia

A mamoplastia redutora é um procedimento que reduz as mamas quando se encontram em peso e tamanho acima das características anatômicas do tórax. Ela pode ser indicada para pacientes que perderam peso e que apresentam grande quantidade de pele na região. Assim, a técnica remove o excesso de gordura, a pele e o tecido glandular para atingir um tamanho de mama proporcional ao corpo da pessoa.

Como vimos, para eliminar flacidez e excesso de pele, é preciso mudar alguns hábitos. Por isso, mantenha uma alimentação adequada e com a ingestão de verduras, frutas e proteínas; pratique exercícios físicos regularmente; beba muita água e pare de fumar. Além disso, caso essas dicas não façam efeito, procure uma clínica de cirurgia plástica que poderá oferecer os melhores tratamentos para o problema.

Gostou deste conteúdo? Qual a sua estratégia para eliminar flacidez? Deixe um comentário em nosso post e conte para nós!

Navegação