Cirurgia das pálpebras: quais as principais indicações da blefaroplastia?

 

A nossa pele produz, de forma natural, substâncias que garantem a elasticidade e a firmeza, como o colágeno e a elastina. No entanto, com o avanço da idade, essas substâncias tendem a diminuir, o que causa as temidas rugas e flacidez em alguns pontos do rosto.

Uma das regiões que mais sofrem com isso são os olhos que, com o envelhecimento da pele, ficam com o aspecto caído. Para corrigir esse problema, muitas pessoas recorrem a procedimentos estéticos e cirurgias plásticas. Neste caso, o mais indicado é realizar uma cirurgia das pálpebras, também chamada de blefaroplastia.

Quer saber mais sobre esse procedimento e se ele é o mais indicado para você? Então, continue a leitura deste artigo e descubra o que é e como é feita a cirurgia das pálpebras. Vamos lá?

O que é blefaroplastia?

A blefaroplastia, ou cirurgia das pálpebras, é uma intervenção cirúrgica que é feita a partir da remoção de áreas na região dos olhos, cuja pele se encontra flácida ou enrugada, deixando a aparência mais agradável esteticamente e bonita.

A blefaroplastia remove tanto a pele em excesso, na parte superior dos olhos, que pode, inclusive, prejudicar a visão, como também as bolsas de gordura que se acumulam na parte inferior da pálpebra, que contribuem para um aspecto de cansaço e envelhecido, bem como a piora das olheiras.

Por ser de baixa complexidade e garantir uma aparência mais jovem e harmoniosa, essa cirurgia é bastante procurada por pessoas a partir dos 30 anos de idade para renovar o visual, transformando o seu olhar.

Para tanto, a cirurgia das pálpebras exige uma anestesia local, aquela cuja duração é menor e abrange apenas uma região delimitada. Esse procedimento é relativamente simples e não demanda longas internações, uma vez que pode ser feito de manhã, e a liberação ocorrer na parte da tarde, após terminar o efeito do sedativo.

Com a duração de, em média, 40 a 90 minutos, o procedimento nas pálpebras inicia-se com a demarcação da área que passará pela intervenção e, em seguida, a remoção da pele em excesso. Depois disso, o profissional realiza uma cauterização local e realiza os pontos no exterior.

Quando há perda muscular, o médico cirurgião precisa fazer uma correção na musculatura orbicular, localizada na região dos olhos. Caso queira um resultado e um rejuvenescimento mais completos da face, é possível combinar a blefaroplastia com outras cirurgias, como a rinoplastia (correção no nariz) e o lifting facial, para eliminar rugas e linhas de expressão.

Quando é indicada a cirurgia das pálpebras?

A principal finalidade da cirurgia das pálpebras é a remoção de pele em excesso e das bolsas de gordura localizadas ao redor dos olhos, que ficam mais aparentes conforme a idade avança e a pessoa passa por mudanças significativas de peso.

A maior parte das pessoas que busca esse procedimento quer mudar a sua aparência e ter olhos com aspecto mais jovial. Entretanto, a blefaroplastia também é indicada quando o excesso de pele chega a prejudicar o campo de visão, formando uma espécie de cortina nos olhos (apesar disso, o problema nunca chegou a causar cegueira em alguém).

A realização de cirurgias plásticas está cada vez mais comum, segura e acessível. Por essa razão, cada vez mais pessoas recorrem a um cirurgião plástico para melhorar aspectos que não estão agradando em seus corpos.Powered by Rock Convert

Por tais razões, os principais motivos que levam à procura por esse tipo de cirurgia são:

  • insatisfação com a aparência da região dos olhos;
  • excesso de pele nas pálpebras superiores;
  • aspecto caído na parte superior do olhar;
  • pálpebras elevadas em relação ao olhar;
  • bolsas de gordura localizadas na parte de baixo do olho;
  • pálpebras inferiores que também apresentam aspecto caído;
  • elevação das pálpebras em relação ao restante do rosto.

No entanto, é interessante ressaltar que a cirurgia das pálpebras não corrige a posição das sobrancelhas. Quem deseja levantar a área, ou deixá-la arqueada, deve optar por fazer um lifting facial.

Como é feita a cirurgia?

Como vimos, a cirurgia das pálpebras é um procedimento simples e de baixo risco. Por isso, tem curta duração e não há necessidade de longas internações. No entanto, é preciso destacar que o paciente pode optar, depois da avaliação de um cirurgião plástico, por fazer a blefaroplastia superior, inferior ou combinar as duas para ter o melhor resultado.

Conheça algumas das diferenças de cada uma delas a seguir!

Blefaroplastia superior

A blefaroplastia superior é feita no sulco óculo palpebral e tem como objetivo remover a pele e a gordura excedentes e, em alguns casos, um pouco do tecido muscular. Estes tecidos deixam o olhar com aspecto de inchaço e o rosto com a aparência cansada.

Para isso, é feita uma pequena incisão no septo orbital, e, em seguida, o cirurgião atinge o depósito de gordura, localizado em camadas mais profundas. Depois da remoção, o corte é fechado, e o paciente deve aguardar a recuperação.

Como resultado, o paciente terá um olhar livre da pele frouxa e das dobras que cobrem o contorno natural das pálpebras.

Blefaroplastia inferior

A blefaroplastia inferior tem como finalidade tratar de problemas como lagoftalmo, entrópio e ectrópio senil e excesso de bolsa de gordura, mesmo em pacientes mais jovens.

O procedimento para correção desse problema é semelhante à blefaroplastia superior. Nesse caso, a cirurgia ocorre a partir de uma sutura nas pálpebras inferiores para garantir que o olho permaneça fechado. Com isso, as linhas de incisão são desenhadas de forma que se garanta que a cicatriz fique escondida no contorno natural o rosto.

Para acessar a camada de gordura excedente, o médico faz uma pequena incisão na camada muscular por onde é possível remover a pele e o músculo de septo orbital excedente. Pode-se optar por uma incisão transconjuntival, feita por dentro do olho, sem retirar a pele — técnica essa que permite a redistribuição da gordura sem deixar cicatrizes no local.

Para ter melhores resultados e recuperar a harmonia no olhar, a cirurgia das pálpebras deve ser feita com especialistas reconhecidos pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Além disso, é muito importante conversar com seu médico sobre suas expectativas em relação ao resultado final, uma vez que pode variar de pessoa para pessoa.

Ficou interessado neste assunto e quer saber ainda mais sobre deixar seu rosto mais bonito e harmonioso? Então, leia agora mesmo nosso artigo sobre a rinoplastia e tudo que você precisa saber sobre essa cirurgia!

Dr. Lecy Marcondes

DR. Lecy Marcondes

Dr Lecy Marcondes Cabral, Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP, Fellow do Colégio Internacional de Cirurgiões, 35 anos de profissão, graduou-se, em 1982, em medicina pela Faculdade de Medicina de Pouso Alegre, em Minas Gerais:

  • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.
  • Integra o Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Luiz e do Hospital Israelita Albert Einstein.
  • Pesquisador na área de Cirurgia Plástica
  • Premiado nos Fóruns de Pesquisa do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Autor de capítulos de livros publicados nas áreas de cirurgia e cirurgia plástica.
  • Diretor e Responsável da Clínica Integrada de Cirurgia Plástica São Paulo.

2 Comentários

  1. Ester Santossays:

    Quanto custa cirurgia nas pálpebras?

    • Dr. Lecy Marcondes
      Dr. Lecy Marcondessays:

      Olá Ester, tudo bem?
      Por normas do Conselho de Medicina não podemos informar valores assim sem uma pré-avaliação em consulta.
      Agende seu horário na clínica.
      Telefone: 11 3040 2380

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

Navegação