Cirurgia de expansão de tecido: quando pode ser realizada?

A medicina tem proporcionado mais uma opção de cirurgia reparadora com a técnica de expansão de tecido. Usar esse procedimento, em vez de retalhos ou enxertos de pele, oferece resultados melhores aos pacientes.

Inclusive, é muito usado em pessoas que sofreram queimaduras ou para reparação de mama, após o tratamento de câncer. Partes como as costas e o tronco têm a pele mais grossa e não oferecem condições adequadas para esse tipo de procedimento.

Veja se você se enquadra entre os casos indicados para realizar a cirurgia de expansão de tecido. Boa leitura!

O que é e como é feita a cirurgia de expansão de tecido?

A técnica de expansão de tecido consiste em fazer com que o próprio organismo produza uma nova pele para ser usada em alguma parte do corpo. É recomendada para a reconstrução de mamas, de partes do couro cabeludo, para recuperação de queimaduras e de lesões nos membros superiores e inferiores.

Procedimento

Dependendo do tamanho da área a ser expandida, a cirurgia plástica demora de uma a duas horas. O cirurgião fará uma incisão pequena no local para inserir o balão expansor de silicone sob a pele. O balão tem um tubo e uma válvula de autovedação para que possa encher com a solução salina. A válvula é colocada abaixo da superfície da pele.

Periodicamente, você deverá ir ao consultório para que o líquido seja injetado no expansor para manter a pele esticada. Quando houver o crescimento suficiente da pele, é o momento da segunda fase, em que o expansor será removido e a pele nova reposicionada.

Na cirurgia de reconstrução de mama, a retirada do expansor e o implante de silicone permanente são feitos de forma breve. Já casos mais complexos, como reparação de pele do rosto e do couro cabeludo, são mais demorados, por exigir uma sequência de expansão para concluir o procedimento.

A técnica auxilia toda pessoa que precisa de pele adicional, sendo homens, mulheres, crianças e idosos, independentemente da idade. Pode ser feita em pernas, mãos, braços, pescoço ou rosto, desde que o tecido e os músculos estejam saudáveis e tenham sido submetidos a exames prévios. Se a pele da região estiver com algum problema e cicatrizes, não terá como realizar a técnica.

Considerações

O procedimento é ideal para a reparação do couro cabeludo, pois com a pele esticada o organismo mantém o crescimento do cabelo. Porém, isso não acontece com a mesma intensidade em outras partes do corpo.

Na reconstrução da mama, após o desenvolvimento da pele para a retirada do expansor, é colocado um implante permanente para que a mulher volte a ter seu seio.

Quais as vantagens e desvantagens do uso da técnica?

Com o método, os cirurgiões têm mais uma opção, além de trabalhar com retalhos e enxerto, para reconstruir tecidos com problemas. Mas claro que existem vantagens e desvantagens.

banner clínica integrada de cirurgia plásticaPowered by Rock Convert

Benefícios

Como há o crescimento da mesma pele, existe a semelhança de cor, textura e produção de pelo daquela já existente. Dessa forma, não haverá grande diferença no pós-cirúrgico. A pele da pessoa doadora continua ligada à área de sangue e nervo. Assim, o risco de haver uma necrose é minimizado.

As cicatrizes ficam quase invisíveis, pois a pele não precisa ser removida de uma região para outra. Por fim, o risco de infecções é mínimo porque o corpo não rejeita a própria pele.

Desvantagens

  • demora no crescimento da pele, que é de aproximadamente quatro meses;
  • aparecimento de protuberâncias, ou seja, caroços de variados tamanhos, coloração e consistência durante o processo de expansão,
  • formação de líquido na região;
  • hematomas;
  • cicatrização com imperfeições;
  • sensibilidade na pele;
  • riscos com a anestesia;
  • dor ou desconforto durante a expansão e no pós-cirúrgico;
  • trombose venosa profunda;
  • alergia aos fios de sutura imergindo na pele;
  • possibilidade de nova cirurgia.

Como deve ser o pré-operatório?

O cirurgião plástico avaliará idade, condições da pele, histórico médico, exames que serão solicitados, flexibilidade e tolerância a algum problema relacionado ao procedimento. Tudo isso para saber se a cirurgia de expansão de tecido será a mais indicada para seu caso.

Aproveite o momento para tirar suas dúvidas e compreender tudo sobre a cirurgia plástica, por exemplo:

  • Como será realizado o procedimento?
  • Qual deverá ser o resultado?
  • Se não ficar como esperado, quais atitudes serão tomadas?
  • Caso tenha alguma complicação, de que forma será tratada?

Considere as instruções dadas pelo médico quanto ao que se deve comer e beber, se pode tomar ou se deve evitar algum medicamento. Se você for fumante, ele pedirá que pare com o hábito, pelo menos duas semanas antes do procedimento, pois o cigarro reduz a circulação de sangue e dificulta a cicatrização.

Quais os cuidados indispensáveis com o pós-operatório?

A extensão e a complexidade da cirurgia determinarão o desconforto que vai sentir após o procedimento de colocação do novo tecido. Porém, isso pode ser controlado por meio de medicamentos.

O incômodo também pode aparecer por uma a duas horas quando for injetar a solução salina no expansor, durante o pós-operatório. O importante é seguir todas as orientações dadas pelo cirurgião plástico para evitar complicações.

No dia da cirurgia, peça que alguém faça companhia a você no hospital para evitar esforços e para chamar um enfermeiro ou um médico, se for preciso.

Ao se decidir por fazer a expansão de tecido, pesquise sobre a experiência do cirurgião plástico, se ele faz parte da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e se será realizada em um centro cirúrgico. O local deve ter licença da Vigilância Sanitária, equipamentos especializados e equipe treinada para qualquer eventualidade.

Essa metodologia tem trazido grandes resultados para reconstruir ou reparar a pele danificada. Porém, considere que é para melhorar a região afetada e não para deixá-la perfeita. O procedimento, depois de realizado, aumenta a qualidade de vida do paciente.

Neste artigo, você pôde aprender sobre a cirurgia de expansão de tecidos, para quais casos são indicados, suas vantagens e desvantagens. Também aprendeu sobre cuidados com o pré e o pós-operatório para que possa procurar um cirurgião plástico e fazer o reparo necessário no seu corpo.

Não fique com dúvidas ou insegurança: para se sentir melhor com seu corpo, entre em contato com nossa empresa. Estamos prontos para atender você com todos os cuidados e as informações necessárias.

A realização de cirurgias plásticas está cada vez mais comum, segura e acessível. Por essa razão, cada vez mais pessoas recorrem a um cirurgião plástico para melhorar aspectos que não estão agradando em seus corpos.Powered by Rock Convert
Dr. Lecy Marcondes

DR. Lecy Marcondes

Dr Lecy Marcondes Cabral, Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP, Fellow do Colégio Internacional de Cirurgiões, 35 anos de profissão, graduou-se, em 1982, em medicina pela Faculdade de Medicina de Pouso Alegre, em Minas Gerais:

  • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.
  • Integra o Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Luiz e do Hospital Israelita Albert Einstein.
  • Pesquisador na área de Cirurgia Plástica
  • Premiado nos Fóruns de Pesquisa do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Autor de capítulos de livros publicados nas áreas de cirurgia e cirurgia plástica.
  • Diretor e Responsável da Clínica Integrada de Cirurgia Plástica São Paulo.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

Navegação