Lipoaspiração: tudo que você precisa saber

A lipoaspiração é um tipo de cirurgia plástica que se caracteriza pela aspiração de gordura por meio de cânulas. Essa intervenção pode ser realizada em diversas partes do corpo em que haja gordura localizada. A técnica pode ser considerada pequena, média ou grande, variando conforme a parte do corpo remodelada e a quantidade de gordura retirada. Normalmente, retira-se até 5% do peso corporal.

A finalidade da lipoaspiração não é tratar a obesidade. Ela também não é eficiente para ser usada no emagrecimento, uma vez que o objetivo é remover gorduras localizadas que não são eliminadas com exercícios físicos ou dietas.

Você passou recentemente por uma cirurgia bariátrica ou realizou alguma dieta e precisa de uma lipoaspiração para conquistar a harmonia corporal que deseja? Confira abaixo tudo que você deve saber antes de encarar esse procedimento! Boa leitura!

Como é feita a lipoaspiração?

É imprescindível que a cirurgia de lipoaspiração seja feita por um médico com especialidade em cirurgia plástica e treinado para executá-la. O início do processo cirúrgico se dá a partir da infiltração de solução de adrenalina e soro fisiológico, cujo objetivo é reduzir as possibilidades de sangramento e evitar o trauma cirúrgico.

Na sequência, as cânulas (instrumentos que retiram a gordura) são introduzidas na pele até alcançarem o tecido adiposo, no qual a gordura está localizada. A partir daí, um sistema de vácuo aspira o excesso de gordura. A técnica aplicada pelo cirurgião e a anatomia do paciente definem os pontos exatos em que as cânulas são inseridas.

É importante ressaltar que as cânulas têm pontas bem finas, deixando cicatrizes que medem em torno de meio centímetro, que não causam dor e tornam-se imperceptíveis no decorrer do tempo.

O procedimento pode ser realizado com anestesia local, geral ou peridural, tudo vai depender da área do corpo que será aspirada.

Quando é indicada?

A lipoaspiração é indicada para pessoas que buscam fins estéticos, ou seja, querem deixar o seu corpo mais bonito, retirando a gordura localizada que, dificilmente, será eliminada com atividade física e dieta. Nesse caso, o paciente procura o cirurgião plástico e cabe a ele aprovar a realização da cirurgia ou não.

Além disso, a lipoaspiração também pode ser utilizada como uma técnica auxiliar para o paciente pós-bariátrico, que, depois de perder muito peso, está com sobra de pele e gordura no abdômen, nas coxas, na face, nos braços e nas mamas.

Qual parte do corpo posso lipoaspirar?

Um dos motivos da cirurgia de lipoaspiração ser tão procurada por quem almeja remodelar o seu corpo é o fato de poder ser feita em qualquer região, desde que haja a concentração de gordura localizada. Os locais que mais costumam ser lipoaspirados são o abdômen, as coxas, as costas, os braços, a papada e a lateral das mamas.

Inclusive, é possível fazer a cirurgia em várias partes do corpo no mesmo dia, desde que não seja excedido o 5% do peso corporal já citado. Se o paciente optar por retirar a gordura em regiões diferentes e em datas separadas, deve observar um prazo mínimo de 3 meses, que precisa ser aguardado para realizar uma nova lipoaspiração.

Quais são os tipos de lipoaspiração que existem?

Na verdade, não existem “tipos de lipoaspiração”, mas sim aparelhos ou táticas de abordagem diferentes. Contudo, saiba que todos os tópicos apresentados abaixo pertencem a mesma técnica, ou seja, à lipoaspiração.

Lipoaspiração comum

A cirurgia de lipoaspiração comum usa uma cânula simples que aspira a gordura em determinada região. O tecido adiposo (gordura) tem uma certa resistência. A sua quebra é feita por meio de força mecânica — o cirurgião plástico faz movimentos de vai e vem com a cânula e, aos poucos, quebra e aspira a gordura da região.

Essa técnica é indicada para a retirada de grandes quantidades de gordura.

Lipoescultura

Na lipoescultura, parte da gordura retirada é tratada, limpa e depositada em outras partes do corpo, dando volume e reduzindo vincos e depressões, além de beneficiar o contorno corporal. Os enxertos mais comuns são nos glúteos e na face.

A grande vantagem desse procedimento é que a gordura é bem-aceita pelo organismo, diminuindo os riscos de rejeição e infecções. Parte do enxerto acaba sendo absorvido, mas o restante se adapta à área em que foi depositado. É preciso ressaltar, no entanto, que essa gordura pode aumentar ou reduzir caso o paciente engorde ou emagreça.

Hidrolipo

A hidrolipo é feita em áreas pequenas. Ela faz uso de uma composição anestésica denominada tumescente, que diminui a dor na região aspirada. Ao contrário da lipoaspiração comum, a hidrolipo faz aspiração de gorduras em áreas menores, proporcionando uma recuperação mais rápida.

Essa lipo é indicada para pessoas com pequenos depósitos de gorduras e que não podem se afastar dos afazeres do dia a dia, já que o procedimento tradicional exige alguns dias de repouso no pós-operatório.

As regiões mais comuns para a hidrolipo são costas, abdômen, culote, coxas, joelhos, braços, papada, cóccix e púbis. Não se esqueça de que a hidrolipo não é recomendada em casos de muita gordura localizada.

Vibrolipo (aparelho)

A vibrolipo, também conhecida como vibrolipoaspiração, é uma cirurgia plástica em que se usa um processo vibratório nas cânulas, facilitando a retirada do tecido adiposo. Esse procedimento, mesmo sendo similar à lipoaspiração comum, tem a vantagem de ser menos invasivo.

O processo é muito simples. A diferença é que as cânulas são ligadas a um aparelho vibratório, que faz o movimento de vibração de forma contínua. Isso possibilita a retirada da gordura com mais facilidade e menos traumas, já que os movimentos são mais delicados, sem que o médico use sua própria força.

Mini-lipo

A mini-lipo é feita da mesma forma que a lipoaspiração comum, porém, somente em regiões menores. Por essa razão, pode ser realizada apenas com anestesia local. A cânula usada é mais fina (2mm) em comparação com a tradicional (3mm).

Ela é indicada para regiões que tenham pouco depósito de gordura. Por ser feita com anestesia local, é uma cirurgia plástica menos dolorosa e com rápida recuperação.

Lipoaspiração a laser (laserlipólise)

Para esse caso, juntamente à cânula comum, faz-se a inserção de uma fibra ótica (laser) responsável por quebrar a membrana das células de gordura, de modo que ela possa ser retirada com mais facilidade e menos trauma para o paciente.

Em seguida, o cirurgião usa outra cânula — simples ou de vibração — para fazer a sucção da gordura, que agora está liquefeita. O calor do laser também cauteriza pequenos vasos sanguíneos, diminuindo o sangramento.

Quais são os cuidados pré-operatórios?

Antes de se submeter à lipoaspiração, o paciente tem que passar por diversas consultas com o médico cirurgião plástico, que indicará a técnica mais apropriada para o seu perfil e as suas necessidades. Também é preciso fazer os exames pré-operatórios: cardiológico, de sangue, ultrassom de abdome e radiografia do tórax.

banner clínica integrada de cirurgia plásticaPowered by Rock Convert

O médico ainda pode solicitar um ultrassom da área que vai ser lipoaspirada e um doppler — exame que visualiza os vasos sanguíneos das pernas e ajuda a identificar se existe a presença de trombos na corrente sanguínea. No período que antecede o procedimento, o paciente tem que ficar oito horas em jejum.

Quais são os cuidados pós-operatórios?

O tamanho da área lipoaspirada determina o tempo de duração da cirurgia, mas, em média, leva-se de três a quatro horas para concluí-la. Se o procedimento foi grande ou lipoaspirou várias partes do corpo no mesmo dia, o paciente terá que ficar internado por, pelo menos, 24 horas.

O médico prescreve o uso de medicação analgésica e antibióticos para impedir a ocorrência de infecções. A recuperação dessa cirurgia acontece rapidamente, o que se deve ao fato de haver pouco ou nenhum ponto de costura cirúrgico.

Na maioria dos casos, uma semana após o procedimento, o indivíduo já pode voltar ao seu trabalho, desde que faça esforços leves. Enquanto se recupera, o paciente deve usar uma cinta modeladora por 30 dias, tirando-a apenas no momento do banho, para comprimir a região lipoaspirada, reduzir o inchaço e modelar a área tratada.

A alimentação balanceada também é indispensável para uma boa recuperação. Portanto, dê preferência a frutas e verduras com vitamina C, como laranja, beterraba, cenoura e abóbora, que têm betacaroteno — um poderoso antioxidante que aumenta a sua imunidade e confere elasticidade à pele.

O período total para um paciente recuperar-se é de um mês. Após esse prazo, você já pode voltar a fazer atividades físicas. No entanto, nada de exagero, já que é necessário ter cautela, iniciando por exercícios leves e progredindo até atingir o seu nível normal.

Quais são os principais mitos e verdades sobre a lipoaspiração?

A lipoaspiração é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados no Brasil, segundo os últimos dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (Sbcp). A última análise comparativa mostra que a cirurgia de lipoaspiração fica atrás apenas do aumento de mamas!

Não restam dúvidas de que a lipoaspiração é um excelente método para retirar o excesso de gordura e melhorar muito a autoestima das pessoas. Todavia, muitas dúvidas surgem a respeito dessa cirurgia plástica e os pacientes não sabem o que é verdade ou não.

Para responder a essas questões, selecionamos os principais mitos e verdades sobre a lipoaspiração. Veja!

“O resultado é permanente”

Mito. É fato que as células de gordura não se regeram, ou seja, uma vez retiradas, elas não voltam. Contudo, após eliminar o excesso de gordura, é fundamental manter um controle nutricional para evitar o ganho de peso, pois, ao contrário do que muitos pensam, apenas a cirurgia de lipoaspiração não é suficiente.

O resultado inicial é garantido, mas a manutenção dependerá da força de vontade e do estilo de vida de cada paciente.

“O pós-operatório é tranquilo”

Verdade. Entretanto, isso pode variar de acordo com a sensibilidade de cada paciente. Como qualquer cirurgia, a lipoaspiração requer cuidados no pós-operatório. Nos primeiros dias, é normal sentir incômodos e até dor na região.

Esses sintomas vão diminuindo, desde que o paciente faça repouso, use a cinta modeladora e siga as orientações médicas. Para alívio da dor, o cirurgião poderá prescrever medicamentos e tratamentos específicos.

“A lipoaspiração é indicada para quem quer emagrecer”

Mito. A lipoaspiração não é um tratamento para obesidade e não substitui a alimentação adequada e a prática de exercícios físicos. Ela não é indicada para quem quer perder peso, mas sim para homens e mulheres que desejam definir o contorno do corpo.

A cirurgia de lipoaspiração apenas retira as gorduras localizadas — como aqueles famosos “pneuzinhos”, que são acúmulos de gordura difíceis de eliminar. Se você está muito acima do peso, o ideal é fazer uma dieta equilibrada associada a exercícios físicos para perder alguns quilos antes de remover o excesso de gordura.

“O procedimento é perigoso”

Mito. Os riscos são os mesmos de qualquer cirurgia plástica de mesmo porte. Em muitas situações, os pacientes são operados sem estarem em condições ideais, isto é, fora do peso, com problemas de saúde ou em locais que não estão preparados para tal procedimento.

Grande parte das complicações não acontecem pelo ato cirúrgico, mas por intercorrências anestésicas ou condições inerentes a qualquer cirurgia, como é o caso da trombose. Esses problemas podem ser evitados quando o procedimento é feito em um centro cirúrgico bem equipado e com profissionais experientes.

“Apenas um cirurgião plástico é capacitado para tal cirurgia”

Verdade. O Conselho Federal de Medicina especifica a lipoaspiração como um procedimento da especialidade de cirurgia plástica, sendo obrigatória a formação cirúrgica do médico. Esse profissional tem uma formação mínima de 11 anos para se especializar nesse tipo de cirurgia.

Assim, é fundamental procurar um cirurgião plástico que tenha o seu registro ativo na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Apenas esses profissionais podem fazer tais procedimentos de maneira segura e proporcionar um resultado adequado.

“A lipoaspiração trata a celulite”

Mito. A celulite é causada por um conjunto de fatores, como acúmulo de gordura, flacidez e acúmulo de líquidos e fibrose. Assim, apenas a lipoaspiração não é capaz de removê-la, pois pode deixar alguns vincos na pele.

Em áreas como o culote, pode haver uma melhora da celulite, porém, para tratar a região, são indicados sessões de drenagem linfática, exercícios e uma alimentação balanceada.

“A lipoaspiração pode ser feita em várias partes do corpo”

Verdade. A cirurgia de lipoaspiração, como falamos, pode ser feita em várias partes do corpo que tenham gordura localizada, como abdômen, papada, culotes, coxas, mamas, joelhos, braços, flancos e costas. Para fazer a cirurgia em várias áreas, pode ser necessário dividi-la em duas ou três etapas.

“A lipoaspiração pode deixar cicatrizes”

Mito. A lipoaspiração não deixa marcas visíveis no corpo. As cicatrizes têm, em média, de 2 a 4 mm e ficam em áreas escondidas. Todos os edemas e inchaços desaparecem durante o pós-operatório.

“O procedimento retira qualquer quantidade de gordura”

Mito. Como mencionamos no início do texto, existe um percentual limite de gordura que pode ser retirado na lipoaspiração, que gira em torno de 5% do peso corporal. Assim, não é possível retirar qualquer quantidade de gordura.

Agora que você sabe tudo sobre a lipoaspiração, já pode começar a se preparar para enfrentá-la e restabelecer-se de forma saudável e responsável.

E então, ficou alguma dúvida sobre a lipoaspiração? Para saber mais sobre essa cirurgia, entre em contato conosco.

Será um prazer atendê-lo!

A realização de cirurgias plásticas está cada vez mais comum, segura e acessível. Por essa razão, cada vez mais pessoas recorrem a um cirurgião plástico para melhorar aspectos que não estão agradando em seus corpos.Powered by Rock Convert
Dr. Lecy Marcondes

DR. Lecy Marcondes

Dr Lecy Marcondes Cabral, Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP, Fellow do Colégio Internacional de Cirurgiões, 35 anos de profissão, graduou-se, em 1982, em medicina pela Faculdade de Medicina de Pouso Alegre, em Minas Gerais:

  • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.
  • Integra o Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Luiz e do Hospital Israelita Albert Einstein.
  • Pesquisador na área de Cirurgia Plástica
  • Premiado nos Fóruns de Pesquisa do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Autor de capítulos de livros publicados nas áreas de cirurgia e cirurgia plástica.
  • Diretor e Responsável da Clínica Integrada de Cirurgia Plástica São Paulo.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

Navegação