Quais são os cuidados no pós-operatório de cirurgia plástica?

Os motivos que levam uma pessoa a procurar uma cirurgia plástica podem ser por estética, por saúde ou por alguma recomendação médica específica. Mas, independentemente dos fins, os cuidados no pós-operatório são tão importantes quanto a operação em si.

Se você está planejando sua cirurgia plástica e já escolheu a sua clínica — ou se passou por um procedimento e precisa de informações extras —, este post vai ajudá-lo a entender como é a fase posterior à maca, de maneira completa e esclarecedora. Confira!

A importância do pós-operatório para o resultado

Antes de tudo, é necessário entender que um rito cirúrgico altera a estrutura do corpo, modificando-o para alcançar o objetivo planejado desde as primeiras consultas com o cirurgião. Por isso, é preciso promover todas as condições favoráveis para que o organismo assimile as mudanças e se recupere.

Mais que a preocupação estética, é preciso pensar na saúde e no bem-estar para que a vida continue normalmente, sem sequelas ou complicações. Ouça o médico e mantenha um relacionamento próximo com a equipe da clínica, pois eles são as melhores referências para qualquer dúvida.

A equação é simples: se você seguir à risca todo o repouso, medicações e cuidados exigidos, você terá sucesso. Caso contrário, você pode comprometer todo o investimento de tempo, dinheiro e energia depositado no processo.

O segredo está na disciplina e no conhecimento. Leia atentamente nossas orientações sobre os principais cuidados e saiba como se preparar para o seu período pós-operatório.

Atenção à alimentação

Muitos podem desvalorizar uma alimentação balanceada e saudável no dia a dia. É comum que a correria nos torne displicentes com relação a isso, já que é bem mais prático aderir ao fast food para matar a fome.

Porém, mais do que a questão nutricional, a alimentação assume um importante papel de aliada para que a recuperação cirúrgica ocorra da maneira certa, reduzindo as possibilidades de efeitos colaterais.

Entre outros benefícios, a alimentação contribui para:

  • a aceleração da recuperação;
  • o equilíbrio das funções intestinais;
  • o fornecimento de proteínas e nutrientes necessários ao período;
  • a força e energia para suportar eventuais dores e incômodos;

Não basta só comer

A recomendação do zelo com a alimentação não é simplesmente para matar a fome e dar força. É preciso que a escolha do que será ingerido seja feita de maneira inteligente, a fim de suprir sob medida as necessidades que cada tipo de cirurgia exige.

Por isso, é preciso conversar com os profissionais envolvidos no tratamento, para que eles expliquem quais serão as carências nutricionais no repouso e auxiliem na escolha dos alimentos corretos.

Certos alimentos podem atrapalhar o pós-operatório em vez de ajudá-lo. Fique atento aos vilões e evite-os no prato. A seguir, separamos alguns alimentos que devem passar bem longe do seu cardápio. Não vacile!

  • frituras;
  • embutidos;
  • gorduras saturadas e trans;
  • fermentativos como feijão, lentilhas e repolhos, exceto sob recomendação profissional;

O que deve ser ingerido

Cada cirurgia carrega as suas particularidades e uma pode ter uma dieta diferente da outra, a depender do que se espera do organismo.

No geral, investir no consumo de alimentos leves como vegetais e frutas é uma recomendação muito válida. E lembre-se: não seja proativo nesse estágio do tratamento. Só obedeça recomendações do seu médico, mesmo que o alimento pareça ser benéfico.

E o mais importante: beba muita água. A hidratação deve ser sua melhor amiga nessa fase, pois o corpo carece, e muito, de líquido para fornecer as condições de saúde ideais. Uma dica de ouro para potencializar a hidratação é o consumo de sucos naturais sem adição de açúcar.

banner clínica integrada de cirurgia plásticaPowered by Rock Convert

Uso dos acessórios

Alguns tratamentos precisam de um apoio especial durante a fase de repouso. São acessórios desenvolvidos para auxiliar o corpo na adaptação à mudança, além de outros fins funcionais, como sustentação do peso, cicatrização e alinhamento da postura.

Eles são indicados em cirurgias específicas e devem ser usados durante todo o período indicado pelo seu cirurgião, sob pena de causar algum dano ao resultado ou até mesmo prolongar a sua recuperação. Conheça alguns deles:

Cinta compressora

Essa cinta é utilizada por quem passa por cirurgias de abdominoplastia, lipoaspiração e lipoescultura, além de algumas outras, conforme a necessidade. Ela deve acompanhar o paciente durante todo o processo de recuperação.

A cinta é usada para a compressão dos tecidos, evitando que líquidos se acumulem e prejudiquem o processo de cicatrização. Ela não é incômoda a ponto de ser abandonada, portanto não há motivos para deixar de usá-la. O paciente só tem a ganhar.

Sutiã pós-operatório

Quem passa por cirurgias nas mamas precisa de um apoio especial para se recuperar do procedimento. Além dos cuidados que essa intervenção exige, como evitar pesos e levantar os braços ou ter o acompanhamento de alguém para as atividades diárias, é necessário um sutiã especial.

Essa peça, diferenciada e específica para esse fim, cumpre o papel de sustentar os seios para que os movimentos não atrapalhem a cicatrização e provoquem a abertura dos pontos. Normalmente, esse sutiã deve ser usado nos 30 dias posteriores à operação. Depois disso, outros modelos estão liberados, sob recomendação do cirurgião.

Acompanhamento médico

O tratamento médico em uma cirurgia plástica só termina quando ocorrer a completa cicatrização dos pontos e o paciente voltar à sua rotina normal. O repouso acontece em casa, mas a ligação com a equipe clínica jamais deve se romper.

Toda e qualquer dúvida deve ser direcionada para os profissionais, utilizando os meios de contato combinados. Além da experiência profissional, eles têm conhecimento específico sobre o paciente e podem orientá-lo de maneira particular e assertiva.

Conselhos de amigos, da internet ou até mesmo de outros profissionais devem ser evitados ao máximo. O acompanhamento pós-cirúrgico normalmente não é cobrado à parte, por isso nada justifica sua renúncia.

Tempo de repouso

O período de repouso foi pensado de maneira a permitir uma cicatrização eficiente e completa. Dessa forma, a má observação dele pode comprometer não somente a estética, mas também a saúde do paciente.

Além de atrasar os resultados, voltar às atividades normais antes do tempo certo pode gerar outros problemas mais sérios, como inflamações, infecções ou até mesmo lesões graves, dependendo do tipo de cirurgia realizado.

Há cirurgias que precisam de um tempo menor, como por exemplo a ninfoplastia — cirurgia íntima —, e outras que precisam de uma disciplina e prazo bem maiores, como a mamoplastia de aumento. Por isso, a orientação é que as transformações que necessitam de repouso maior sejam feitas em períodos mais tranquilos.

A atenção e o respeito a esses cuidados necessários garantirão que tudo ocorra bem e que os benefícios que levaram o paciente a decidir por uma cirurgia plástica sejam alcançados de maneira plena.

Antes de tudo, na fase de planejamento, estude todas as exigências de repouso e prepare todas as condições para que elas sejam seguidas. Não se coloque em situação de risco.

Este conteúdo foi útil e esclarecedor para você? Ele também poderá orientar outras pessoas. Compartilhe-o nas suas redes sociais, para que seus amigos também tenham ciência desses cuidados no pós-operatório!

A realização de cirurgias plásticas está cada vez mais comum, segura e acessível. Por essa razão, cada vez mais pessoas recorrem a um cirurgião plástico para melhorar aspectos que não estão agradando em seus corpos.Powered by Rock Convert
Dr. Lecy Marcondes

DR. Lecy Marcondes

Dr Lecy Marcondes Cabral, Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP, Fellow do Colégio Internacional de Cirurgiões, 35 anos de profissão, graduou-se, em 1982, em medicina pela Faculdade de Medicina de Pouso Alegre, em Minas Gerais:

  • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.
  • Integra o Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Luiz e do Hospital Israelita Albert Einstein.
  • Pesquisador na área de Cirurgia Plástica
  • Premiado nos Fóruns de Pesquisa do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Autor de capítulos de livros publicados nas áreas de cirurgia e cirurgia plástica.
  • Diretor e Responsável da Clínica Integrada de Cirurgia Plástica São Paulo.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

Navegação