Você sabe da importância da drenagem linfática no pós-operatório?

O nosso corpo tende a acumular excesso de líquidos naturalmente e pode trazer aquela sensação de inchaço ao longo do dia. Esse processo pode acontecer por diversos motivos e, um deles, é a realização de uma cirurgia plástica. Nessas condições, o corpo acumula ainda mais substâncias e a circulação sanguínea é interrompida na área, o que causa inchaços e edemas.

Para evitar esse problema ou reduzir os sintomas, é fundamental fazer uma drenagem linfática no pós-operatório. Você pensa em passar por uma cirurgia? Então, precisa conhecer agora mesmo qual a importância de passar por esse procedimento!

Neste artigo, vamos explicar o que é e por que a drenagem linfática é essencial no pós-operatório, para quais cirurgias ela é indicada, quais são os seus principais benefícios e o melhor momento para fazer. Confira!  

O que é drenagem linfática?

A drenagem linfática é um tipo de massagem cuja técnica utilizada tem como objetivo estimular o sistema linfático — sistema de vasos que levam líquidos pelo corpo  a trabalhar de forma mais rápida e eficiente. As principais vantagens desse tipo de procedimento são a melhora da circulação sanguínea, a redução da retenção de líquidos e o relaxamento corporal.

Diversas pessoas procuram pela drenagem linfática com o objetivo de emagrecer, mas a massagem, na verdade, ajuda a reduzir medida graças à eliminação de toxinas acumuladas nos vasos linfáticos. Elas são as responsáveis por causar inchaço no corpo e no rosto, não é necessariamente gordura.

Nesse sentido, quando combinada a outras estratégias, como alimentação saudável e atividade física, ela é uma aliada na busca por uma melhora estética. Outra aplicação da drenagem linfática é em situações de pós-operatório. Nesse caso, ela é indispensável e os benefícios são muitos, como veremos a seguir!

Por que fazer o procedimento no pós-operatório?

Com o avanço da medicina e a constante melhoria dos procedimentos e técnicas utilizadas, as pessoas estão cada vez mais seguras para a realização de intervenções estéticas e cirurgias plásticas. Entretanto, por mais que as intervenções sejam altamente seguras e o paciente siga corretamente todas as recomendações médicas, o corpo ainda apresenta algumas reações às cirurgias, como inchaço. Elas são perfeitamente naturais e inevitáveis.

Quando o organismo passa por um procedimento cirúrgico, os tecidos sofrem diversas lesões e impactos e precisam ser recuperados. Um dos mecanismos de defesa do corpo humano atua na criação de alterações, como edemas, manchas roxas e cicatrizes, para fechar a abertura do corte.

Nesse sentido, a retenção de líquido após as cirurgias ocorre devido ao fato de o nosso corpo ter tendência a acumular líquidos de forma natural. Em caso de intervenções cirúrgicas, esse inchaço surge como uma defesa natural do organismo, aliado ao sedentarismo por conta de período de repouso.

Por essas questões, a drenagem linfática no pós-operatório torna-se essencial, pois vai ajudar a combater o inchaço causado pelo sistema linfático e pela falta de atividade de física. Além disso, contribui para que o paciente alcance o resultado esperado.  

Em quais cirurgias é mais indicada?

A drenagem linfática no pós-operatório pode ser feita em qualquer pessoa que tenha passado por uma cirurgia, seja por problema de saúde seja para fins estéticos e reparadores. É importante destacar como ela é fundamental para ativar a circulação sanguínea no local, eliminar as toxinas acumuladas com o impacto da incisão e auxiliar na recuperação após a cirurgia.

Entretanto, o paciente não deve procurar por um massagista ou fisioterapeuta sem autorização do médico. Somente o cirurgião responsável pelo procedimento deve liberar a realização da drenagem linfática e atestar que as suas condições físicas são adequadas para receber a técnica sem trazer nenhum problema ou complicação cirúrgica.

De toda forma, em algumas operações ela é fundamental para a recuperação adequada do paciente. São elas:

  • lipoaspiração e lipoescultura;

  • mamoplastia (de aumento, redutora ou reparadora);

  • ritidoplastia;

  • abdominoplastia;

  • blefaroplastia

  • rinoplastia;

  • dermolipectomia;

  • lifting de coxas e de braços;

  • cirurgia de contorno corporal;

  • enxerto de gordura etc.

Quais as vantagens da drenagem linfática no pós-operatório?

Depois da indicação do médico, o paciente que passou por uma cirurgia deve procurar por um profissional capacitado para fazer a drenagem linfática. Em condições adequadas de higiene e realizada por especialista na área, a massagem pode trazer ao paciente os seguintes benefícios:

  • ativar a circulação sanguínea na região operada;
  • melhorar o funcionamento do sistema linfático
  • restabelecer a aderência de pele;
  • eliminar os inchaços, tanto na região operada como no restante do corpo.
  • reduzir a retenção de líquidos pelo organismo
  • aliviar a dor causada pela cirurgia;
  • tratar os hematomas que surgem com a incisão;
  • reduzir a fibrose;
  • favorecer a oxigenação dos tecidos;
  • acelerar e auxiliar no processo de cicatrização;
  • ajudar na remodelagem da pele;
  • evitar complicações pós-cirúrgicas;

Como deve ser feito o procedimento após a cirurgia?

Apesar dos benefícios, é importante ressaltar que a drenagem linfática no pós-operatório deve ser feita com muita cautela. Afinal, o corpo e os tecidos se encontram em um estado debilitado. Dessa forma, os movimentos precisam se delicados e cuidadosos para não atrapalhar o processo de recuperação e causar desconforto ao paciente.

Cada um dos tipos de cirurgia plástica tem características próprias e um tempo diferente de recuperação. Por essa razão, não existe um momento ideal para iniciar a drenagem. O ideal é esperar a autorização do cirurgião, pois só ele saberá exatamente quando seu corpo estará preparado para iniciar o procedimento. Pacientes que apresentarem infecções ou qualquer outra complicação pós-cirúrgica não devem fazer a massagem.

São necessárias em torno de 10 sessões de drenagem para conseguir os resultados esperados e reduzir o inchaço da cirurgia. Entretanto, esse número pode variar conforme o paciente, o tipo de cirurgia e a evolução do organismo.

Como vimos, a drenagem linfática no pós-operatório é essencial para obter os resultados almejados e conquistar a aparência dos sonhos. Por isso, lembre-se sempre de procurar pela melhor equipe, o que inclui escolher por clínicas reconhecidas, cirurgiões plásticos credenciados pelo órgão regulador e esteticistas especialistas em procedimentos pós-cirúrgicos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe um comentário aqui no post e conte-nos se você já fez drenagem linfática após uma cirurgia!

Dr. Lecy Marcondes

DR. Lecy Marcondes

Dr Lecy Marcondes Cabral, Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP, Fellow do Colégio Internacional de Cirurgiões, 35 anos de profissão, graduou-se, em 1982, em medicina pela Faculdade de Medicina de Pouso Alegre, em Minas Gerais:

  • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.
  • Integra o Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Luiz e do Hospital Israelita Albert Einstein.
  • Pesquisador na área de Cirurgia Plástica
  • Premiado nos Fóruns de Pesquisa do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Autor de capítulos de livros publicados nas áreas de cirurgia e cirurgia plástica.
  • Diretor e Responsável da Clínica Integrada de Cirurgia Plástica São Paulo.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

Navegação