Você sabe o que é dermoabrasão? Nós te explicamos!

O rosto é o nosso principal cartão de visitas. No entanto, alguns fatores como o sol, a acne, o envelhecimento e a flacidez podem causar algumas marcas e manchas faciais que acabam desagradando e prejudicando a autoestima.

Felizmente, a medicina evolui muito e, graças a modernas técnicas de procedimentos e cirurgias plásticas, já é possível reverter uma série de sinais faciais. Um deles é a dermoabrasão.

Você sabe do que se trata? Basicamente é um tipo de intervenção não invasiva em que há uma remoção da camada superior da pele e que traz ótimos resultados para quem busca por renovação.

Ao longo do texto vamos explicar melhor como funciona esse procedimento, para quem é indicado e como deve ser o pós-operatório. Além disso, vamos mostrar as diferenças em relação ao peeling químico. Ficou curioso? Confira!

O que é dermoabrasão?

A dermoabrasão é um procedimento cirúrgico cosmético minimamente invasivo e é utilizado em diversos casos para melhorar a aparência da pele, sobretudo do rosto. Também conhecida como regeneração da pele, na intervenção é realizado lixamento físico da epiderme para que haja uma esfoliação da região, estimulando uma renovação.

De uma forma geral, podemos dizer que a dermoabrasão é uma técnica cujo o propósito é remover uma parte das camadas mais superficiais da pele por meio de uma raspagem. A ideia é deixar as irregularidades causadas por fatores diversos mais suaves, fazendo com que a superfície da epiderme tenha uma aparência mais lisa e esteticamente mais agradável.

Normalmente a dermoabrasão é utilizada para deixar a pele com uma aparência melhor em caso de acne severa, cicatrizes em decorrência de acidentes ou cirurgias, marcas de nascença ou até mesmo manchas. Também pode ser usada para a remoção de tumores pré-cancerígenos chamados de queratoses.

Por fim, também é utilizada para remoção de tatuagens. No entanto, nesses casos, a técnica só tem a eficácia garantida quando se trata de um desenho menor e pouco pigmentado. Em geral, pode ser realizada tanto em uma porção menor de pele quanto em grandes áreas. Também pode ser feita em conjunto com outros procedimentos, tais como o peeling químico.

Como é a preparação para o procedimento?

A dermoabrasão é utilizada em pessoas que tenham marcas ou cicatrizes causadas por inúmeros fatores. Para a realização do procedimento é usada uma lixa cirúrgica acoplada a um aparelho específico para o procedimento e, assim, raspa a camada mais superficial da epiderme. As regiões que passarão pelo procedimento são lixadas por aproximadamente 15 minutos.

É importante lembrar que o tratamento é indolor graças à aplicação de uma anestesia local. Depois do procedimento a pele ficará em tom rosado, voltando ao normal depois de algum dia.

Para enfrentar essa intervenção, a pessoa precisa conversar com o seu cirurgião plástico e entender se está apta. A dermoabrasão, apesar de ser uma técnica cirúrgica relativamente simples é contraindicada em alguns casos, como:

  • pessoas em tratamento para acne com medicamentos à base de isotretinoína;

  • quem tem predisposição desenvolver queloides;

  • pessoas que estivem com acnes inflamadas, contendo pus;

  • quem costuma apresentar infecções recorrentes por herpes;

  • em cicatrizes de queimaduras.

Caso o paciente não se enquadre em nenhum desses casos, o médico solicitará o histórico médico, fazer os exames físicos e discutir sobre os possíveis resultados que serão alcançados com o procedimento.

Se estiver tudo certo, será necessário parar de usar alguns medicamentos, evitar fumar nas semanas anteriores, tomar de forma preventiva medicamentos antivirais e antibióticos e evitar exposição solar.

Quais as diferenças em relação peeling químico?

Por terem o mesmo objetivo, que é amenizar algumas imperfeições epiteliais, a dermoabrasão e o peeling químico diversas vezes são confundidos. No entanto, existem diferenças bastante significativas entre eles.

O peeling químico é mais indicado para quem tem manchas na pele, linhas de expressão e flacidez causadas devido à idade ou perdas bruscas de peso. Ele atua removendo as camadas que estão comprometidas e suaviza a textura da pele. Também pode ser feito por quem se incomoda com a pele áspera em outras partes do corpo, como mãos, pescoço e áreas com estrias.

No caso do peeling químico, existem diferentes níveis de profundidade da esfoliação (superficial, médio e profundo). A escolha dependerá do objetivo do paciente e da situação em que a pele se encontra.

Já a dermoabrasão é um pouco mais invasiva que o peeling, afinal, a técnica se baseia em uma raspagem cirúrgica. Além disso, o seu objetivo está mais direcionado a minimizar marcas mais profundas na pele.

banner clínica integrada de cirurgia plásticaPowered by Rock Convert

Como deve ser o pós-operatório?

Depois que for feita a dermoabrasão, a pele normalmente ficará avermelhada, sensível e apresentará um pouco de inchaço em decorrência da raspagem. Além disso, pode causar queimação, dor e formigamento, sintomas que são controlados com a medicação recomendada pelo médico.

Após uma semana, esses sintomas vão desaparecer e a área que sofreu a raspagem vai formar uma casca, que sairá assim que a nova camada da pele crescer.

Em geral, após duas semanas de descanso, o paciente já poderá voltar às atividades normais. Mas, no período pós-cirúrgico é imprescindível evitar qualquer tipo de impacto ou colisão na área tratada.

A exposição ao sol também deve esperar por pelo menos 6 semanas e, ao longo dos 12 primeiros meses o cuidado deve ser redobrado, afinal, a pele estará um pouco mais sensível e ainda não terá a pigmentação completamente formada. No caso de homens, o médico dará uma orientação específica para o uso de barbeadores.

Na grande maioria das situações a melhora da pele é contínua e, caso o paciente perceba alguma anormalidade, como vermelhidão e coceira em excesso, deve procurar um médico. Os resultados definitivos aparecerão após alguns dias, desde que as recomendações do profissional sejam seguidas à risca.

Agora que você já sabe o que é dermoabrasão e suas indicações, lembre-se de procurar um médico cirurgião plástico credenciado pela SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica) para realizar o procedimento com qualidade e segurança e que explique sobre os resultados de acordo com as suas expectativas. Além disso, é fundamental que tudo seja feito em uma clínica que ofereça segurança e profissionais treinados.

Caso tenha ficado alguma dúvida ou se você tiver interesse em saber mais sobre esse procedimento, entre em contato conosco!

A realização de cirurgias plásticas está cada vez mais comum, segura e acessível. Por essa razão, cada vez mais pessoas recorrem a um cirurgião plástico para melhorar aspectos que não estão agradando em seus corpos.Powered by Rock Convert
Dr. Lecy Marcondes

DR. Lecy Marcondes

Dr Lecy Marcondes Cabral, Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina - UNIFESP, Fellow do Colégio Internacional de Cirurgiões, 35 anos de profissão, graduou-se, em 1982, em medicina pela Faculdade de Medicina de Pouso Alegre, em Minas Gerais:

  • Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Membro Titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.
  • Integra o Corpo Clínico do Hospital e Maternidade São Luiz e do Hospital Israelita Albert Einstein.
  • Pesquisador na área de Cirurgia Plástica
  • Premiado nos Fóruns de Pesquisa do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.
  • Autor de capítulos de livros publicados nas áreas de cirurgia e cirurgia plástica.
  • Diretor e Responsável da Clínica Integrada de Cirurgia Plástica São Paulo.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"

Navegação